Criança

Festival gastronômico realizado na Disney enche os olhos e a barriga!

Proprietária do site Pequeno Gourmet conta experiência deliciosa em todos os sentidos

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Entrada_recortada

Food and Wine (Foto: Camila Verdeja)

A economista e influenciadora digital Camila Verdeja, proprietária do site especializado em alimentação infantil saudável Pequeno Gourmet foi conferir de perto a Food and Wine Festival, uma feira gastronômica anual realizada na Disney. A empresária fez uma matéria exclusiva para a Pais&Filhos com suas avaliações de tudo o que viu e comeu por lá!

“Muitas pessoas sonham em viajar para a Disney. Economizam, escolhem a melhor data para sair de férias, montam o roteiro, compram as passagens e ficam aguardando ansiosamente o grande dia, principalmente as crianças. A alimentação no decorrer do passeio, muitas vezes, só é discutida durante o planejamento de orçamento para a viagem ou quando há alguma restrição alimentar de algum membro da família. Porém, como é um lugar onde a magia e a imaginação alimentam os nossos sentidos, é de se esperar que o paladar não fique de fora, não é mesmo?! E, ao contrário do que muitas pessoas pensam, há uma variedade muito grande de opções saudáveis e deliciosas em todos os parques e hotéis do complexo Disney. Muito além de hambúrgueres e cachorros-quentes!

O Epcot é o mais conhecido neste sentido, pois oferece aos seus visitantes um tour ao redor do mundo através das suas atrações e restaurantes. Mas o que muitos papais e mamães não sabem, é que anualmente o Epcot prepara um mega evento de dar água na boca: o International Food and Wine Festival, um festival gastronômico com pratos de diferentes lugares do mundo! O Pequeno Gourmet, é claro, empacotou o apetite e foi conferir de perto o que a Disney preparou este ano para os seus visitantes durante o período de 14 de setembro a 14 de Novembro. Para participar dessa experiência fantástica é preciso comprar a entrada do Epcot, a partir de US$ 97.

Anúncio

FECHAR

Existem diversas formas de chegar ao parque: ônibus, carro e até mesmo transporte gratuito. Esta última opção está disponível principalmente para hóspedes dos hotéis do complexo Disney. Para quem vai de carro, o estacionamento custa US$20, porém hóspedes dos hotéis da Disney também não pagam. De qualquer forma, não precisa se preocupar, a maioria dos hotéis oferece transporte – no estilo Shuttle – de ida e volta para os parques!

O Festival

Há uma programação intensa de palestras, demonstrações culinárias, participação de chefs renomados, degustações de queijos, vinhos e outras bebidas durante todo o Festival, tanto no Epcot como em hotéis da Disney. Vale destacar que alguns eventos são pagos e é preciso fazer reserva com antecedência. Confesso que adoraria ter participado de algum jantar de degustação promovido pelos hotéis do complexo, porém não havia nada disponível para as datas da minha viagem. É importante checar a disponibilidade e encaixar no roteiro para aproveitar ao máximo as opções do Festival.

A minha lombriguinha começou a dar sinal de vida assim que entramos no parque. O display da entrada já prometia uma viagem de sabores ao redor do mundo com o Chef Mickey de braços abertos e colher na mão nos recebendo. O guia impresso do Festival estava disponível por todo o parque assim como barraquinhas para aplicação de repelente. Como mãe, bati palmas para iniciativa da Disney em proteger os seus visitantes. Além do livretinho, também é possível buscar informações no aplicativo My Disney Experience, que permite fazer reservas, buscas e até mesmo acompanhar aonde estão os personagens dentro do parque ou então perguntar aos, sempre muito simpáticos, funcionários do parque.

Para quem vai com crianças muito pequenas ou bebês, é importante atentar-se à temperatura. No início de setembro ainda estava bem quente e eu acabei deixando o Santiago se molhar durante quase todo o passeio, lembrando sempre de oferecer água, frutas e alimentos frescos. E embora fosse um Festival dedicado ao vinho, a maioria dos adultos se refrescava com copinhos e copões de cerveja ou taças de drinks frozen. O que eu imagino que vai mudar nas semanas finais do evento, pois em Novembro a temperatura estará mais amena e mais propicia para uma tacinha de vinho tinto.

O que comer com as crianças?

O nosso tour gastronômico começou antes mesmo de entrarmos no World Showcase, onde estão dispostos os quiosques de vários países com comidinhas típicas e gourmets. Isso porque a Disney preparou várias novidades para a edição deste ano, incluindo até mesmo uma barraquinha dedicada exclusivamente ao tomate, a Greenhouse Guru, onde encontramos um prato que, além de combinar perfeitamente com a temperatura escaldante, era a cara do Pequeno Gourmet: salada de tomates com queijo de cabra, aceto balsâmico envelhecido e micro-manjericão.

Porém, o prato preferido da mamãe, estava um pouquinho mais adiante, na barraquinha Wine & Dine Studio, uma vieira “enorme” grelhada, servida com purê trufado de raiz de salsão, couve-de-Bruxelas e cogumelos. Ali eu já entendi que faltaria espaço para provar todas as delícias que ainda estavam por vir. Portanto, se possível, reservem mais de um dia para curtir o Festival. Foi o que fizemos, voltamos no dia seguinte, pois mesmo dividindo os pratinhos com o maridão e o filhote, não foi possível provar nem a metade, tamanha é a variedade de opções. Ah! Uma informação importante: cada pratinho custa, em média, US$5.

A fim de facilitar a vida dos papais e mamães, a própria Disney fez questão de assinalar os pratos mais indicados para as crianças, colocando um desenho de uma pera nas opções do cardápio. Adorei a escolha do símbolo, porém algumas sugestões não eram lá muito saudáveis. Havia também indicação para os pratos vegetarianos e sem glúten. O Santiago, meu filho de três anos, provou diversos pratos, mas a empanada de carne da barraca da Patagônia, sem dúvidas, foi o predileto. A apresentação simples escondia um recheio super saboroso que mesmo sendo um pouco apimentado caiu nas graças dele.

Mais de 30 barraquinhas de comidas, bebidas e boa música

O design das barquinhas merece destaque, já que elas representavam os países com riqueza de detalhes e muito bom gosto. A do Brasil estava incrível, um motivo de orgulho da família Verdeja, pois os elogios à costelinha de porco servida com feijão preto e tomates frescos vieram de muitos turistas estrangeiros e o visual era de cair o queixo. Tudo embalado ao som de uma bossinha que fez bater forte a saudade.

Um pouco mais a frente estava o quiosque, Hops and Barley dos Estados Unidos, que além de ser um cantinho especial com um sanduíche de lagosta delicioso (um dos prediletos do papai), era a melhor área para se comer com as crianças, pois haviam mesas e bancos cobertos protegendo os pequenos da exposição ao sol. E embora o bolo de cenoura com cobertura de cream cheese desta barraquinha seja uma boa opção de sobremesa para as crianças, a minha predileta foi o Quesito, massa folhada recheada com cream cheese e calda de goiabauma versão caribenha do nosso Romeu e Julieta – do quiosque Islands of the Caribbean.

Em frente a área dos Estados Unidos há um palco a céu aberto com uma programação musical fantástica durante todo o Festival que inclui Hanson, Soul Asylum e Boyz II Men. Tem música boa para todos os gostos diariamente. Imperdível e sem custo adicional!

Ao todo são mais de 30 barraquinhas de comidas e bebidas, quiosques de souvenirs, pavilhão de palestras e eventos. Tudo muito bem organizado, pensando em transformar uma viagem de sonho em uma lembrança muito gostosa! O Pequeno Gourmet não só recomenda como já está de olhinho gordo no próximo Festival do Epcot! Hummm!”

O evento acontece até 14 de novembro.

(Texto de Camila Verdeja)