Pais

Estrelas cadentes

Quando soube que seria pai, Cadu passou a noite em claro. E mudou aos poucos de especialidade: do surf para a troca de fraldas

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Eu nunca havia imaginado que poderia me tornar um homem cheio de responsabilidades, medos e felicidade tão rápido. Isso tudo aconteceu em menos de 30 segundos. Foi só eu atender meu celular e, pronto, minha vida mudou.

Eu estava em Saquarema, no Rio de Janeiro, terminando uma filmagem em um lugar fantástico, com ondas perfeitas, quando soube que seria pai. Óbvio que fiquei em choque. Mas ao meu lado estava um amigo que tinha três vezes a minha idade e vários filhos, e que me aconselhou a tomar uma cerveja e relaxar, que tudo se encaixaria. E foi isso que aconteceu.

Anúncio

FECHAR

Nesse dia, não dormi. Ficava tentando imaginar como seria minha vida. Na verdade, estava morrendo de medo. Fui à praia por volta das 4 horas da manhã para tentar me acalmar e tenho certeza de que ninguém viu tantas estrelas cadentes como eu. Nunca fiz tantos pedidos na minha vida e, incrivelmente, relaxei.

Fiquei ainda em Saquarema mais alguns dias, e eu sabia que, quando voltasse para São Paulo, tudo seria diferente. Uma nova vida me esperava. Eu e minha esposa estávamos namorando havia dois anos e ainda não morávamos juntos. Quando a encontrei, jurei que cuidaria da nossa filha e que faria tudo por elas, mas ainda estava em pânico. Foi uma fase muito boa das nossas vidas. Tudo deu perfeitamente certo. Fomos morar em um lugar ótimo, consegui um bom trabalho, troquei de carro e percebi que as pessoas mais importantes da minha vida são meus pais, que foram formidáveis comigo.

Entendi que, antes da notícia da gravidez, eu estava em uma estrada sem rumo. Depois que descobri que seria pai, foi como se aparecesse uma placa dizendo: “Cadu, siga para a direita”. Precisei ser pai para me tornar realmente adulto, para saber meu papel nesta vida. Só então percebi que a vida é muito mais do que festas, ondas, dinheiro e trabalho…

Em uma piscada de olhos, chegou o dia dela nascer e eu estava totalmente calmo. Foi incrível. Tanto, que fiz umas 300 fotos da nossa chegada ao hospital até o momento do parto. Acompanhei tudo o tempo todo.

Não foi somente a Duda que chegou: quem nasceu ali foi uma nova família, uma possibilidade de melhorar o mundo em que vivemos. Quando peguei a Duda toda enroladinha, totalmente frágil e dependente, senti que me tornei pai pra valer. Tive a sensação de que já a conhecia havia muito tempo. Fiquei desnorteado, saí na rua e desabafei com o segurança da maternidade como se fosse meu melhor amigo.

A cada sorriso, abraço e beijo que ganho da Duda, me sinto mais forte. Temos uma ligação que me dá energia, paciência e coragem para enfrentar os problemas de todos os dias. Descobri que, nas horas mais desesperadoras, um filho faz com que você enfrente qualquer leão. Todas as pessoas precisam realmente passar por isso, temos muito o que aprender com as crianças.

Foi tão fantástico pra nós que acabamos de fazer mais uma… Estamos grávidos de novo e vem aí mais uma menina. Minha mãe não para de dizer que vou pagar o que já aprontei!

 Estou tranquilo desta vez, pois sei agora que já domino a arte de cuidar de bebê, trocar fralda, dar banho, mamadeira e fazer dormir. Só acho difícil quando o bebê chora e a gente não consegue entender o motivo do seu incômodo. Quando minhas filhas crescerem, sei que eu estarei bem mais maduro para ensiná-las a serem boas pessoas e tornarem este nosso mundo bagunçado um lugar cada vez melhor. Acredito que neste processo poderemos mudar as coisas. Fácil eu sei que não vai ser, mas eu vou conseguir. Ou melhor, já consegui.”