Família

7 motivos para pais e filhos desacelerarem já!

O “slow parenting” prega por uma infância mais calma. Mas, afinal, por que é tão importante dar uma desacelerada?

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

1. Para recarregar a bateria

Nosso corpo não responde bem quando está sempre no modo acelerado. Uma pausa de tempos em tempos permite que a vida seja aproveitada com mais energia.

2. Para olhar para trás

Anúncio

FECHAR

As memórias não se formam com facilidade quando nossa vida é uma correria. Refletir sobre uma experiência vivida traz uma segunda oportunidade de saboreá-la – e a chance de a absorvermos em nossa memória.

3. Para ter uma visão panorâmica da vida

Ao refletir (e isso só se consegue quando damos um tempo pra nós mesmos…) conseguimos colocar de lado quaisquer distrações triviais e ponderar questões que realmente importam.

4. Para apreciar

Um momento, uma viagem, uma experiência, um aprendizado… Tem muita gente que vive a vida olhando pro relógio em vez de viver a vida desfrutando os pequenos prazeres. Essa pausa permite um engajamento verdadeiro com o momento, o que significa fazer as coisas melhor e aproveitá-las muito mais.

5. Para se conectar

E não é do wifi que estamos falando: é de uma conexão com o outro. Ter tempo pra ouvir o que está sendo falado, para estar com aquela pessoa de maneira plena e verdadeira.

6. Para ser mais criativo

A neurociência diz: desacelerar é uma das pré-condições essenciais para a criatividade. A pausa permite soltar a imaginação e o poder criativo, seja no ambiente de trabalho, na escola ou para brincar.

7. Para mudar o mundo

Nós estamos queimando além da conta recursos naturais de nosso planeta por consumir muito mais do que aquilo que precisamos. Essa vontade de comprar é, na maioria das vezes, uma decisão impulsiva. A tal da pausa ajuda a resistir ao canto da sereia pró-consumismo e a tomar decisões mais sábias sobre o que comprar. 

 

Sinais de que você está acelerado

– Você discute fervorosamente com professores ou com o treinador quando acredita que alguma decisão dele tenha desfavorecido seu filho.

– Você vai buscar seu filho mais cedo em alguma atividade para que ele não se atrase para a próxima.

– Os últimos livros que você leu são manuais de como ser bom pai ou boa mãe.

– Seu filho é o tópico principal, ou único, das conversas com amigos.