Notícias

Sofá irresistível

Você se sente cansada? Chega do trabalho e se joga no sofá? Então, você faz parte de 98% da população brasileira, segundo pesquisa do IBOPE

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Você passaria no teste do sofá? Calma, não é sobre isso que a gente está falando… É sobre cansaço! Quando você chega em casa, tem disposição para fazer outras coisas como exercício físico, brincar com os filhos, sair com as amigas, ou só quer saber mesmo é de se jogar no sofá e ficar ali quanto tempo puder? Pois é, se sua resposta é que você só quer mesmo saber de ver TV, e que está muitíssimo cansado para fazer outras coisas, está entre 98% da população brasileira.

Uma pesquisa inédita do IBOPE feita com internautas de todo o país revelou que 98% da população se sente cansada (em algum nível de 1 a 5, que vai de “pouco” a “muito” cansado). E entre a porcentagem que se revelou no nível máximo de cansaço, as mulheres são maioria: 66% delas contra 54% dos homens.

Pois é, tem muita gente cansada por aí, especialmente da região Sudeste, enquanto na região Sul as pessoas se revelaram menos cansadas.

Anúncio

FECHAR

Um dado surpreendente é que acima dos 40 anos a disposição é maior do que nos jovens.

 De onde vem tanto cansaço?

Entre as razões que levam à exaustão, o estresse foi apontado como o maior inimigo da disposição – 70% disseram estar cansados por causa dele, seguidos por 45% dos que revelaram estar cansados por falta de condicionamento físico, 33% por problemas pessoais, 32% por alimentação inadequada, 22% por acomodação e preguiça, 21% por problemas no trabalho, e 12% por problemas de saúde (a soma dá mais de 100%, pois os entrevistados poderiam dar mais de uma resposta.)

É de assustar, mas nem dormir e descansar resolvem. Pois é, 2 em cada 3 pessoas disseram acordar indispostas e cansadas. Ou seja, é uma sensação que nos acompanha ao longo de todo o dia, especialmente às tardes (citada por 36% dos entrevistados).

Uma das causas mais “generalizadas” que as pessoas citam em relação ao assunto é a qualidade de vida que foi considerada ‘regular’ por quase metade dos entrevistados (46%), Ruim (10%), Péssima (1%) – e ótima (4%) ou boa (39%).

 As consequências

O cansaço, por si só, é chato. Mas, vamos combinar, ele nunca vem sozinho… Entre as consequências apontadas pelo IBOPE, estão o abandono de tarefas, a mudança de humor e a alteração na frequência da vida sexual. A pesquisa mostrou que 44% dos brasileiros deixam “às vezes” de fazer alguma coisa por estar cansados (apenas 9% disseram que nunca deixaram de fazer nada por causa disso). Ademais, 40% disseram não fazer absolutamente nada quando chegam em casa, embora quisessem fazer (entre as atividades perdidas e mais desejadas estão a atividade física, estudar e fazer coisas para hobby, como brincar com filhos ou sair com amigos).

O mau humor aparece depois de um dia cansativo. As pessoas da classe A são as que têm seu humor mais modificado pelo cansaço – e entre os jovens (de 20 a 40 anos) é mais recorrente esta alteração. Pois é, mais uma vez, os mais velhos se sentiram menos atingidos.

Sexo é uma das consequências chatas que a sensação geral tem causado: 45% dos entrevistados disseram já ter ‘sentido dor de cabeça’ e desistiram de transar, preferindo cair na cama sem segundas intenções. Dessa vez, os jovens foram menos influenciados que os mais velhos.

A pesquisa feita pelo Ibope entrevistou online integrantes do CONECTAí, painel do IBOPE Inteligência. São homens e mulheres, de 18 a 64 anos, de classes ABCD, residentes nas principais capitais do país. A amostra foi de 1.499 entrevistas, representativas da população brasileira de internautas, com margem de erro de 3 pontos com 95% de confiança