Notícias

Separar para crescer

Débora Nunes, mãe de Clara, está enfrentando muitas crises de choro desde que optou pela creche

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Eu trabalho em casa, então desde que a Clara completou 1 ano e meio, senti a necessidade de coloca-la na creche, pois com ela em casa o dia inteiro, eu nunca conseguia trabalhar, se conseguia era só durante a soneca da tarde dela, de 1 a 2 horas por dia, ou de madrugada, porém, devido a isso dormia tarde e acabava acordando na hora que a Clara acordava, no máximo as 7hs e como consequência não rendia nada durante o dia.

Além disso a Clara sendo filha única tinha muito pouco contato com outras crianças e senti que ela sentia necessidade desse contato maior  com crianças da idade dela.

Depois de tomada a decisão tanto da minha parte como da parte do meu esposo, surgiu o medo, protelei até o ultimo momento pra matricula-la, e no começo deste ano, ela começou na creche.

Anúncio

FECHAR

Nos primeiros dias eu chorava assim que deixava ela na sala de aula, mas conversando com as amigas, consegui manter minha decisão de mantê-la matriculada.

Na segunda semana a Clara teve febre emocional, e eu me senti ainda mais culpada, fiquei apavorada de estar forçando ela a algo que não estivesse preparada. Eu me sentia péssima, ficava em casa e não conseguia fazer nada direito, ficava olhando o relógio na ansiedade que a hora passasse o mais rápido possível para que eu fosse logo busca-la.

Depois da terceira semana a Clara começou a chorar menos, tinha dias que ela nem chorava, mas justo nessa época ela foi mordida no rostinho por uma coleguinha, e eu, que já estava começando a achar que tinha feito o certo, me culpei de novo, chorei horrores, neste dia me senti a pior mãe do mundo por achar que estava fazendo tudo errado, tomei a decisão de tira-la da escolinha, mas felizmente meu esposo, minha mãe e amigas me fizeram mudar de ideia.

Hoje a Clara ainda chora algumas vezes para ficar na creche, mas chora também quando não vai. Ela fez muitas amizades, sabe o nome de todos os amiguinhos, já aprendeu a contar e sabe quase todas as cores, largou a chupeta e esta saindo das fraldas.

Pra mim ainda é difícil ter que deixa-la na escolinha quando ela chora ou vai chorando, é difícil pensar que estou em casa, trabalhando, mas em casa. Porém sei que a separação é algo necessário, não só pra mim, mas para ela, pro seu crescimento e desenvolvimento. E sei que essa e só uma das muitas fases pelas quais eu e ela teremos que passar. Não foi fácil pra ela, mas lá no fundo do meu coração eu sei que foi muito mais difícil pra mim, pois sou eu quem devo me acostumar a tira-la debaixo das minhas asas, e deixa-la alçar voo para o seu próprio futuro.