Notícias

Sem escolinha

Ana Duarte, mãe de Gabriel e autora do blog, aconteceu eu virei mãe, decidiu: nada de escolinha por enquanto

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos


Ana Duarte Nascimento mãe de Gabriel  participa da campanha Culpa,Não! O tema do mês de Maio é  “Culpa por deixar a criança na creche”  se você também quiser participar siga a página do porjeot no Facebook e mande um depoimento sobre o tema do mês para giovanna@revistapaisefilhos.com.br .  

Confesso que ultimamente anda complicado sentar pra fazer qualquer coisa, meu filhote está impossível, demorando pra dormir que só, hehehe…

Mas em alguns poucos minutos de folga, prestei atenção em um telejornal, que contava em várias versões a criatividade absurda que alguns criminosos e corruptos tem tido para roubar e fraudar. Nossa! Se cada criminoso ou corrupto que vemos na TV usasse a criatividade pra produzir boas ideias em benefício da nossa sociedade, o que ela seria? Certamente uma sociedade bem melhor!

Como sou mãe, penso logo em meu filho e aí que cai a inevitável ficha: quanta responsabilidade temos ao estimular nossos filhos e filhas a serem curiosos, atrevidos, criativos… não é!? Tudo isso aplicado para o bem de todos. Já pensou nisso?

Anúncio

FECHAR

Aquilo que passamos a eles, influenciará direta ou indiretamente suas decisões futuras de forma categórica. Eu, por exemplo, escolhi ficar em casa pra cuidar do meu filho porque minha mãe trabalhava o dia inteiro e não tinha tempo pra ficar comigo. Escolhi ter mais filhos futuramente porque sou filha única e cresci brincando sozinha.

Não foi culpa da minha mãe tudo o que aconteceu, ela simplesmente precisava trabalhar para me sustentar, visto que éramos só nós duas. Mas influenciou minha decisão. Entende o que eu quero dizer? Escolhi fazer pro meu filho tudo o que eu não pude viver.  E não me sinto culpada de não trabalhar. Não quer dizer que vou me meter nas escolhas dele, quer dizer que vou oferecer uma realidade diferente da que eu vivi e não gostei. As escolhas, ele fará sozinho.

Só sei de uma coisa: quero criar, para a sociedade do futuro, pessoas de boa índole, de caráter, respeito e educação. Isso independe do rumo que vou dar ao fato de trabalhar ou não, depende apenas do modo como vou dar o exemplo. Sem culpa!

E pra finalizar, desejo pros nossos filhos, não que eles sejam os melhores, os maiorais, mas que sejam bons, para o bem de todos nós!