Notícias

Pai causa polêmica ao ‘amamentar’

O gesto de Rodolfo para acalmar a filha Valentina dividiu opiniões nas redes sociais; leia o depoimento do jovem

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Pai de Valentina, o videomaker Rodolfo Francisco Ribeiro Marga, do ABC paulista, expôs um episódio marcante de sua intimidade como pai para demonstrar seu apoio à Semana de Amamentação. A foto dele “amamentando” sua filha causa sensação nas redes sociais. Negativas e positivas. No seu depoimento, Rodolfo explica como tudo aconteceu:

Conheça nossa linha do tempo da gravidez

Veja como turbinar a inteligência do seu bebê

Anúncio

FECHAR

“Em homenagem à semana mundial de amamentação, vou postar a foto polêmica novamente. Sim, essa foto já rodou alguns vários grupos de mães que são a favor da amamentação/ parto natural e, sim, eu já fui xingado por alguma delas com adjetivos do tipo “bizarro,  pedófilo, insano, nojento e etc”, mas  eu não ligo e nem liguei porque a foto tem uma história bem mais interessante por trás que eu vou contar abaixo.

Certo dia, quando valentina ainda tinha poucos meses de vida (creio que entre 2 e 3 meses) a Jé Bonizzi precisou sair pra fazer um exame, coisa rápida , era algo em torno de 45 minutos e ela já estaria de volta, pois bem, ela amamentou a Valentina e ela foi dormir a soneca da tarde (aquela que dura por volta de 2h).

A  Jé saiu e eu fiquei lá, do lado do berço, vendo de 10 em 10 minutos se o bebê tava respirando. Se você é pai sabe do que eu tô falando, se não é, certeza que você vai ter esse tique também e tal. Passou 1h e plim, o bebê acordou, acordou tranquila e rindo. Liguei para Jé e ela estava presa no trânsito e para ajudar tinha começado a chover.

Bom, distrai o bebê enquanto pude até que veio …. o choro, eu sabia que era o choro de fome (Tina sempre teve choros característicos) e aquele choro foi aumentando até que chegou ao ponto que eu pensei: “E agora? O que eu faço?”. Liguei de novo pra Jé e adivinha? Caixa postal.

Bom, pensei comigo, às vezes não é fome, às vezes é carência. Num súbito acesso fiz o que me veio à cabeça, vou amamentar. ‘Amamentar? tá louco?’. Sim, eu estava, minha filha estava chorando e a mãe estava longe.

Bom ela pegou o peito, cerrou a gengiva (não, não doeu) e ficou lá, parada, sem sugar, sem nada, mas o choro parou , ela ficava me olhando..  devia estar pensando: ‘Minha mãe não tem barba , mas é o que tem pra hoje,  né?.  Isso durou 15 minutos e ela voltou a dormir!

Quando a Jé chegou, depois de 3h — toda desesperada porque a essas horas ela já devia ter sentido (mãe tem essas coisas) que o bebê já devia estar acordado — veio e me perguntou:
– Ela não acordou ainda?
– Acordou
– E não chorou?
– Chorou muito.
– E o que você fez?
Eu, com aquela cara de super-homem (ou super-pai) falei:
– Amamentei.

Lógico que tive que mostrar isso posteriormente para ela e ai ela tirou essa foto.

É assim, eu sou homem, não produzo leite, mas acredito que o amamentar vai muito além disso, é um contato direto que você tem com o seu filho/filha, é como se você mostrasse para ele o que é amor/carinho/atenção, mas numa língua que ambos entendam.

Então tá aí. Parabéns a quem amamenta, a quem tenta amamentar (se tiver dúvida, procure as meninas do Grupo Virtual de Amamentação) e a quem apoia a amamentação.”
#smam2013  #amamentação