Notícias

Não tem preço

Vívian, mãe de Matheus e Isadora, escolheu acompanhar todos os processos da vida dos filhos

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Eu me casei em 2006. Na época, estava acabando a faculdade e estava desempregada. Dois meses depois do casamento, engravidei. Durante a gravidez, eu dizia que iria trabalhar depois que meu bebê completasse 6 meses. Mal sabia eu que tudo, absolutamente tudo muda quando o bebê nasce e que deixá-lo com alguém ou numa escolinha não é tão fácil quanto parece… Pelo menos pra mim, não.

Conversei com meu marido e decidimos que eu iria ficar em casa com ele e foi a melhor decisão que nós poderíamos ter tomado. Foi muito gratificante poder acompanhar cada momento e fase da vida do meu filho. Educá-lo dentro dos parâmetros e princípios que eu acho correto, não tem preço. Pude registrar tudo, presenciar tudo, fotografar tudo… Ver o primeiro passo, a primeira palavra, alimentar da forma e horário corretos, acalentar nos meus braços quando ele se machucava, abraçar e sorrir junto quando ele estava feliz, vibrar junto com as novas descobertas…

Vivemos numa época em que o contato mãe/bebê muitas vezes é substituído por babás, babás eletrônicas, escolinhas. Será que o grande aumento da violência nas últimas décadas nada tem a ver com a falta da mãe como pessoa primordial no aspecto emocional?

Anúncio

FECHAR

Estou até hoje em casa (meu filho mais velho está com 6 anos), e este ano a minha filha mais nova nasceu. Esta semana completa 4 meses, e novamente escolhi estar em casa e acompanhar todos os processos da vida dela até que esteja pronta para ir à escola.

Mesmo não tendo absolutamente nenhum reconhecimento, às vezes nem mesmo da família (sim, muita gente pensa que ficamos em casa sem fazer nada, e que não passamos de mães acomodadas). Já ouvi muitas indiretas, mas eu sei que estou fazendo e dando o melhor para meus filhos, então vale a pena qualquer indisposição sobre o assunto.

Acordar todos os dias e ver o sorriso no rostinho dos dois é todo reconhecimento que eu preciso!