Notícias

Guia mapeia 815 dicas culturais nos Jardins, em SP

Mais de 700 pessoas marcaram presença na inauguração do projeto.

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

No dia 12 de outubro foi lançado o projeto Jardins da Infância, idealizado pela fotógrafa Drica Lobo. Já comemorando o dia das crianças, o MuBE – Museu Brasileiro da Escultura, abriu espaço para pais e filhos participarem das atividades do projeto, que conta agora com a parceria pedagógica da Catapulta Cultural, responsável pelo EducaMuBE (premiado com menção honrosa no III Prêmio Internacional Iber Museus). A partir de agora até dezembro de 2013, todos os sábados no MuBE serão recheados de oficinas culturais, contação de histórias e um percurso criativo e interativo, onde pais e filhos podem se divertir juntos. Além de discussões e reflexões sobre a infância e educação.

Lançamento do projeto Jardins da Infância no MuBE, em São Paulo

Anúncio

FECHAR

O projeto, que tem como principal obejtivo incentivar que pais e filhos percorram o bairro e conheçam melhor a região onde moram, deixou a abertura oficial nas mãos de Kiara Terra, contadora de histórias e colunista do projeto. Ela chamou a atenção de todos cantando e divertindo a todos com suas histórias. Depois as crianças estavam liberadas para aproveitar tudo o que o espaço oferecia.

A praça do MuBE, antes vazia, virou realmente uma praça cheia de vida, como o arquiteto do museu, Paulo Mendes da Rocha, havia idealizado. Além de brincar à vontade, durante a tarde as crianças poderiam trocar brinquedos e livros uns com os outros. As oficinas educativas ensinavam a fabricar brinquedos e robôs sustentáveis. E outras atividades voltadas para o lado afetivo também estavam à disposição, como o coletor de sentimentos, uma caixa em que os filhos poderiam dizer o que sentem pelos pais e os pais pelos filhos. Também uma árvore gigante feita de envelopes recheados com sementes de Ipê. Em troca das sementes, pais e filhos deveriam deixar um depoimento de como essa semente encontrará o mundo quando crescer. O resultado dessas atividades poderão ser encontradas no site do MuBE no decorrer das atividades.

O lançamento contou com a presença das embaixadoras do projeto, todas orgulhosas. A cantora Maria Rita, mãe de Antonio e Alice, é uma dessas mulheres e não esconde a admiração pelo projeto. “Como mãe eu acho fundamental esse tipo de contexto onde a criança pode ser criança, entrar em contato com o lúdico e com o amadurecimento emocional. E eu torço para que o Jardins da Infância continue crescendo, que chegue além do Jardins e de São Paulo.”

Os benefícios do Jardins da Infância são para toda a comunidade que busca uma opção de atividades culturais para os filhos juntamente com os pais. Para os moradores da região é um orgulho ter uma iniciativa como esta. “Tudo o que diz respeito à melhoria de qualidade de vida para nós e, principalmente, para as crianças é muito bem vindo. O MuBE e a equipe da Drica estão dando mais uma demonstração de que nós podemos fazer uma cidade melhor para todo mundo, mas principalmente para aqueles que nós amamos, que são os nossos filhos”, disse Julio Serson, pai de Luiza e Rebeca, presidente da AME Jardins, associação de moradores dos bairros dos Jardins.

O projeto

Drica Lobo, fotógrafa, mãe de Carmela e Nicola, começou a pensar o Jardins da Infância há cerca de nove anos, quando estava grávida e pensava em frequentar praças onde pudesse trocar dicas e se relacionar com outras mães do bairro. Ao começar a procurar boas opções ao ar livre para se divertir com os filhos, descobriu apenas praças vazias. “Não tinha criança, não tinha mãe, não tinha nada. Então eu comecei a andar pelo bairro e arrumar soluções descobrindo cada cantinho aonde eu poderia levar os meus filhos. Descobri desde a vila aonde eu poderia levá-los para andar de patinete quando estivessem maiores até a costureira que remenda calça de moleque. E fui anotando tudo.”, contou Drica.

O projeto começou a tomar forma quando Drica entrou para a faculdade de comunicação e recebeu apoio para colocar em práticas suas ideias. Foi então que a fotógrafa começou a mapear a região dos Jardins,anotando tudo em um caderninho. O mapa de uma parte do bairro do Jardins foi criado com referências para que mães e filhos pudessem visitar a pé.

Depois disso o projeto Jardins da Infância ganhou um espaço virtual (www.jardinsdainfancia.com.br), onde reúne toda a programação coletada por sua idealizadora e mais eventos em que os pais podem encontrar têm informações sobre infância. O portal conta também com colunistas que contribuem com temas sobre o bairro e infância. São muitos colaboradores com trabalhos voltados à infância e que contribuem de forma lúdica e educativa.

Drica coleciona cerca de 815 anotações de serviços úteis e lugares onde pais e filhos têm acesso a atividades culturais na região dos Jardins. “A minha ideia é que este projeto possa ser usado mesmo na rua como um guia, que a mãe pegue o filho e ande a pé pelo bairro e resolva o problema na porta da casa dela. Espero que as mães andem com mapa na bolsa e que atrás dele, que está todo em branco, possam escrever o nome de cada lugarzinho”, disse a idealizadora do Jardins da Infância.

Hoje, Carol Fiorentino é sócia de Drica Lobo no projeto que ganhou uma nova ideia. Além de informar, o Jardins da Infância gera a conteúdo para o desenvolvimento de pais e filhos com informação e cultura. É aí então que entra o MuBE e a Catapulta Cultural, que logo aceitou a parceria proposta pela fotógrafa. “Esta é a realização de um sonho e meus filhos estão começando a perceber o que é e estão amando. E a gente vai crescendo junto”, disse Drica.

E a aceitação dos moradores do bairro é grande, para Drica é o ponto alto do projeto. Alguns pais valorizam a ideia de se relacionar com vizinhos também, além de estar mais tempo com os filhos. Isabella Fiorentino, modelo e apresentadora, mãe dos trigêmeos Bernardo, Lorenzo e Nicholas, e uma das embaixadoras do projeto, diz que “é bacana ter a oportunidade de encontrar pessoas do bairro em um lugar para trocar ideias sobre educação, visão de vida. Além de ficar mesmo com os filhos porque as atividades do projeto são integradas, o que falta muito em São Paulo.”

O trabalho do MuBE e da Catapulta Cultural

A parceria do Jardins da Infância com o trabalho do EducaMuBE, realizado pela Catapulta Cultural, tem a primeira edição este ano. Todos os sábados entre outubro e dezembro filhos e pais podem participar de atividades durante todo o dia no museu. O coordenador da ação educativa no MuBE e criador da Catapulta Cultural, Murilo Kammer, filho de Gino e Marli, conta que o formato se mantém o mesmo da inauguração durante a tarde (com oficinas de brinquedos e contação de histórias), e pela manhã estará disponível um percurso criativo em que pais e filhos poderão interagir com as exposições.

A Catapulta Cultural é quem cuida da ação educativa no MuBE e agora é responsável pela parte pedagógica do projeto Jardins da Infância. As oficinas pensadas para as crianças e as demais atividades que envolvem o projeto foram desenvolvidas pela Catapulta, que tem uma “vocação cultural que trabalha pensando o fortalecimento do indivíduo em uma sociedade que está segmentada pelas redes”, conta Kammer.

As oficinas de entretenimento, como as de fabricação de brinquedos, serão intercaladas com as atividades afetivas. “São propostas que têm como base a pedagogia do coração, que compreende o coração não só como o órgão do sentimento, mas também da imaginação. A gente busca exercícios para que os participantes repensem a própria vida de maneira que trabalhem a construção de uma nova sociedade. E é através da cultura e das artes que a gente cria uma energia curativa”, explica Kammer. Um exemplo dessas atividades é a árvore feita com envelopes que guardam sementes de Ipê. Ao pegar semente, a criança (ou os pais) devem colocar no lugar um depoimento sobre o mundo que espera essa semente quando ela crescer.

É importante lembrar que mesmo com as oficinas já programadas, as crianças podem praticar outras atividades, afinal de contas é uma praça. Patinetes, amarelinhas e outras coisas são muito bem vindas no projeto. E os pais poderão participar de discussões sobre a infância com especialistas que se revezam a cada sábado.