Notícias

Eu ou ele: mãe não aceita filho com síndrome de Down e deixa marido que quer ficar com o bebê

Por considerar uma “vergonha” para a família, a mãe queria dar o bebê para adoção. O pai se recusou

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Samuel Forrest foi abandonado pela mulher, Ruzan Badalyan, depois que ela deu à luz Leo, que tem síndrome de Down. A mãe não queria criar o bebê e preferia deixá-lo para adoção porque ele seria uma “vergonha” para ela e sua família armênia. O pai se recusou a fazer isso e foi colocado contra a parede: se ficasse com o bebê, teria que se divorciar da mãe. A separação ocorreu uma semana após o nascimento de Leo.

O casal só descobriu a síndrome de Down depois que o bebê nasceu. “O pediatra saiu do quarto com um pequeno pacote. Era Leo. Ele tinha o rosto coberto, e as autoridades do hospital não me deixavam vê-lo ou ver minha mulher”, lembra o pai. Quando soube da Síndrome de Down e foi ver o filho, Samuel disse: “Ele é lindo. É perfeito, e eu com certeza quero ficar com ele”.

Leia a coluna de Ivelise Giarolla, que tem uma filha com síndrome de Down

Anúncio

FECHAR

Como não tem muitos recursos para criar o filho, Samuel decidiu criar um projeto de financiamento coletivo e arrecadou até agora US$ 387 mil (equivalente a pouco mais de R$ 1 milhão). “O objetivo é juntar o suficiente para um ano, para que eu possa conseguir um emprego de meio período, para que ele não tenha de ir para uma creche e eu possa tomar conta dele”, disse o pai à ABC.

Parte dos fundos arredados também será usada para dar suporte às famílias armênias com filhos com deficiência, assim como os orfanatos que cuidam de bebês abandonados. Pai e filho devem se mudar para a Nova Zelândia, terra natal de Samuel.