Notícias

Escolinha contra o tédio

Nathália Coimbra, mãe de Helena, não queria se afastar da filha mas reparou que seria o melhor para ela.

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Desde a gravidez já falava em deixar minha filha na creche quando voltasse a trabalhar. Minha mãe também precisou me colocar na creche novinha e minha adaptação foi ótima, fui uma criança mais independente, ativa e menos medrosa que a minha irmã mais velha por exemplo, que ficou com babá.

Tenho eu mesma como exemplo, estava segura da minha decisão até o dia do nascimento da Helena… Assim que saímos da maternidade meu apego e dependência pela minha filha era tão grande que eu falava ao meu marido que não voltaria ao trabalho, que não conseguia me imaginar longe dela.

Os meses foram passando e aos poucos fui percebendo que Helena é uma criança muito ativa, que gosta de outras crianças, gosta de coisas novas, interage muito com as pessoas e que a medida que fosse crescendo e se desenvolvendo,  logo ficaria entediada se ficasse em casa.

Anúncio

FECHAR

Ela nunca foi um bebê que dormisse durante o dia, apesar de só ter 3 meses na época,  Helena gostava de ficar acordada quase o dia inteiro brincando, ouvindo , música e eu me sentia a própria Xuxa para distrair a menina o dia todo! Foi então que voltamos a opção da creche.

Confesso que as primeiras semanas não foram fáceis para mim e era muito estranho ficar sem ela. Aos poucos fui percebendo que ela estava bem, que gostava de lá e das tias e me senti segura ao ver como ela estava bem cuidada.

Bem, volto ao trabalho no próximo mês, optei por fazer uma adaptação lenta na creche tanto pra mim quanto pra ela e pude acompanhar de perto o dia a dia, como é feito o banho, as refeições e isso fez toda a diferença para me deixar confiante de que fiz a escolha certa! Helena vai fazer 6 meses, volta cansada da creche de tanta brincadeira e atividades!