Notícias

Diário do Pedrinho

Vamos acompanhar cada passo do menino, que sofre de Síndrome do Intestino Curto

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Semana passada contamos que o Pedrinho, da campanha “Amigos do Pedrinho”, conseguiu o transporte para fazer o tratamento de doença rara nos Estados Unidos. Ele embarcou no domingo, 12, dia das crianças. Pela rede social da campanha, Alice, a mãe do menino, conta como está sendo o processo desde o embarque até os exames no hospital em Miami. Vamos fazer aqui o Diário de Pedrinho, mostrando tudo o que está acontecendo com ele lá e acompanhando essa história emocionante.

Conheça a história de Pedrinho: http://www.paisefilhos.com.br/familia/pedrinho-consegue-transporte-para-fazer-tratamento-nos-eua

Pedrinho embarcou com a mãe e o avô às 21h27min com destino a Miami. Às 23h30min, o voo fez uma escala em Brasília e a Aline aproveitou para mandar notícias aos amigos do Pedrinho. “A partida para Miami foi muito emocionante. Primeira etapa vencida, graças a cada um de vocês. Pedrinho veio muito bem até Brasília. Os olhinhos curiosos não resistiram ao dia agitado e dormiu no meu colo e no colo do vovô”, contou a mãe do menino.

Anúncio

FECHAR

O transporte ocorreu sem nenhuma intercorrência e na segunda-feira, 13, Pedrinho foi entregue aos cuidados da Equipe de Transplante do Hospital Jackson Memorial. “Pedrinho gostou tanto de voar que penso que ele será piloto de avião!”, brinca a orgulhosa mãe.

No mesmo dia a família teve duas grandes surpresas: encontraram a Paty, mãe de Sofia, que também foi para os Estados Unidos tratar a Síndrome de Berdon – contamos a história dela aqui. E depois Aline conversou com o Dr. Rodrigo Vianna, possível médico que irá fazer o transplante do menino.

Terça-feira, 14, Pedrinho começou uma bateria de exames, como de sangue e ultrassons. Em alguns desses ele terá que ser sedado e também fará uma biopsia do fígado, pois apresentou algumas alterações do ultrassom por conta do uso contínuo da nutrição parenteral.

Aline teve a oportunidade de conhecer dois casos de transplante multivisceral no hospital. “Um deles com 2 aninhos e cheio de vida. Em menos de 1 mês após ser transplantado, o bebê já está pulando, brincando com toda energia. Fantástico. É o milagre a nossa frente. O milagre da vida”, conta a mãe de Pedrinho.

A primeira semana de Pedro no hospital foi cheia de exames. A mãe dele não saiu do hospital durante os 7 dias em que estão nos Estados Unidos, por isso ainda não foi conhecer a casa que foi emprestada à eles. Eles estão aguardando o resultado da biópsia do fígado que dirá se Pedrinho fará um transplante apenas do intestino ou um multiviceral, com intestinos, estômago, pâncreas e fígado.