Notícias

Dedicação que gera frutos

Julliane, mãe de Elisa e Breno, aderiu ao home office para que pudesse dedicar mais tempo à família

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Não sou mãe de primeira viagem. Há quase 5 anos passei pela primeira experiência de retorno ao trabalho. Fácil? Não. 

Foi um momento delicado, cheio de decisões e recheado de muita coragem.

A primeira decisão, e unânime, foi que o melhor lugar para nossa filha seria na escola, em um berçário que oferecesse boas condições de higiene, que fosse próximo ao meu trabalho, com bom preço e muito carinho! Depois de encontrarmos o lugar ideal, começou a fase de adaptação, minha e dela, na época com 4 meses. 

Anúncio

FECHAR

Primeiro dia: 1 hora de muito choro (de ambas)

Segundo dia: 2 horas, um pouco de choro

Terceiro dia: meio período tranquilo 

E assim fomos indo, dia a dia conquistando confiança para retornar definitivamente ao trabalho. 

Culpa? Jamais. Vivemos uma realidade em que a mulher é peça fundamental no sustento da família, e financeiramente falando, eu não poderia deixar de trabalhar naquele momento, mas, o que mais me motivou no retorno foi a vontade de vencer todos estes desafios, superá-los e no fim dizer: Valeu a pena! 

Queria ser mãe, uma boa esposa, mas também queria construir minha carreira, e foi isso que fiz. Sem culpa.

No início, a maior correria, empenho total. Minha filha ficava quase 12 horas na escola, e mesmo assim, eu consegui amamentá-la até os 8 meses, tirando e enviando o leite materno para o berçário, o que garantiu que ela não ficasse tão exposta à doenças. 

Comecei a perceber que o retorno ao trabalho havia sido importante para mim como profissional, os desafios me motivavam, e pude perceber que várias mulheres a minha volta também tinham aquela louca e deliciosa jornada diária e trocávamos experiências, dicas e macetes!

As promoções foram surgindo, meu trabalho foi sendo reconhecido, em paralelo minha filha crescia feliz e contente com o apoio de uma boa escola de educação infantil. 

Tenho certeza de que não perdi nenhum momento tão importante que não pudesse ser compensado com um tempo de qualidade no final do expediente ou aos finais de semana com minha filha. 

Há quatro meses e meio fui mãe novamente, desta vez de um menino.

E, na última segunda-feira já retornei ao trabalho, só que desta vez está sendo mais especial. Todo o tempo e dedicação que tive nos últimos cinco anos, geraram frutos. Desde a última gravidez minha empresa aderiu ao home office, o que colaborou para que eu não estivesse tantas horas do dia no trânsito, fosse ao escritório somente quando necessário e pudesse dedicar mais tempo a minha família e meu bem-estar.

A licença-maternidade acabou e voltei a trabalhar em casa, o que possibilita continuar por alguns meses com a amamentação exclusiva. Quando sair para alguma reunião, temos uma babá/empregada e leite materno no congelador! 

Mas em janeiro de 2014 nosso bebê já irá para escolinha, pelo menos por meio período. Sem culpa novamente!

Definitivamente a maternidade só me dá mais força para alcançar meus objetivos e crescer, por eles!