Notícias

Cerca de 40 bebês nascem prematuros no Brasil a cada hora

Entre os recém-nascidos essa é a principal causa de morte. Veja os principais motivos e sintomas

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

O parto prematuro é quando o nascimento acontece antes das 36 semanas e seis dias de gestação, levando em conta o primeiro dia da última menstruação. Dados do Ministério da Saúde mostram que mais de 12% (344 mil) dos 2,9 milhões de nascimentos no Brasil acontecem antes da hora. Isso significa que nascem 931 bebês prematuros por dia, o equivalente a 40 por hora. Esse índice é o dobro do ocorrido em países europeus.

Esse problema pode ser dividido em três graus: é considerado leve quando o bebê nasce entre 32 e 36 semanas. O moderado vai de 28 e 31 semanas e seis dias. Já o grave é quando acontece abaixo de 28 semanas. A falta de desenvolvimento do sistema imunológico, o que os torna as crianças mais vulneráveis a contrair infecções e doenças, pode até causar a morte dos bebês prematuros.

Segundo o obstetra obstetra Maurício Sobral, os partos prematuros são desconhecidos em 50% dos casos e, no restante, podem ocorrer por causas que vão desde a idade da mãe, o posicionamento da placenta, a hipertensão diabetes gestacional, infecção urinária até caso anterior de prematuridade. E, além disso, devido algumas condições do próprio bebê como malformações fetais e presença de síndrome genética.

Anúncio

FECHAR

Sintomas

Alguns sintomas como sangramento, contrações fortes em menos de uma hora e pressão grande na pelve podem ser indícios de que o bebê chegará antes do tempo previsto. O ideal é consultar um obstetra para ter certeza de que se trata de um caso de parto prematuro.

Dá para evitar?

É importante que a gestante adote hábitos saudáveis, como uma dieta nutritiva e balanceada, evitar cigarros e bebidas alcoólicas, fazer exercícios físicos recomendados pelo médico e não deixe de fazer o pré-natal corretamente. Caso seja necessário utilizar algum medicamento, um especialista de sua confiança deverá avaliar o caso e recomendar.

Consultoria: Dr. Maurício Sobral, ginecologista, obstetra e pai de Luiza e Beatriz