Notícias

Cansaço de vez em sempre

Luísa Aranha, mãe de Eduarda e Pedro Henrique, dá conta do recado mas tem o cansaço como o seu maior aliado

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Luísa Aranha mãe de Eduarda e Pedro Henrique participa da campanha Culpa,Não! O tema do mês de Julho é  “Não preguiça é cansaço”  se você também quiser participar siga a nossa página no Facebook e mande um depoimento sobre o tema do mês para giovanna@revistapaisefilhos.com.br .  

Cuidar da casa, do cachorro, da gata, de uma adolescente, um bebê de quase 10 meses, de um marido e ainda trabalhar home Office?! Sim, é possível. Mas meu maior aliado é o cansaço. Já falei no blog sobre o assunto “Quando o Cansaço invade”, foi um post desabafo que pedia socorro a outras mães para ensinar uma fórmula mágica sobre como lidar com o cansaço.  O resultado foi excelente, não porque descobri a fórmula mágica e nem nenhum segredo sobre o assunto, mas por que descobri que ele está presente na vida de muitas mães e mulheres.

Não tem como negar, chega àquela irritação, você começa a ver tudo fora do lugar, a casa caindo a sua volta e mesmo assim, não consegue arranjar forças para fazer o que é preciso. É uma sensação de impotência misturada com uma dor física e a cabeça pesada. Parece que o mínimo som fará você explodir e junto implodir tudo a sua volta. É assim que eu me sinto e não é de vez em quando, é de vez em sempre. E quem acaba pagando o pato são os filhos. Depois bate aquele remorso, sensação de culpa e aquela vontade de chorar (isso se já não começou a chorar antes).

Anúncio

FECHAR

Quem nunca passou por isso que a tire a primeira pedra. Eu só quero minha cama, uma noite de sono que dure 12 horas seguidas e sem uma babá eletrônica para escutar cada suspiro do baby. Mas não da, né?! Então me contento com um bom banho demorado, e algumas horas de sono. Às vezes, uma barra de chocolate também ajuda a aliviar.

Aqui em casa tentamos instituir o “dia da mamãe”, seria um dia de folga. Sem acordar para atender o baby, sem precisar fazer almoço, lanche e janta. Sem me preocupar em troca de fraldas, horários de alimentação, possíveis tombos (já que agora o Pedro Henrique anda se apoiando em tudo para ficar de pé e caminhar) ou qualquer serviço de casa. Mas o “dia da mamãe” acabou se reduzindo há só dormir um pouco mais, sem precisar levantar tão cedo para dar a mamadeira do guri.

No dia das mães que passou me perguntaram o que eu queria de presente e não tive dúvidas em responder que queria uma diária em um hotel (com wifi, é claro). Todos ficaram sentidos, mas eu só queria um descanso. Acabou não rolando porque viajamos com toda a família, mas penso seriamente em pedir de aniversário, já que em agosto eu comemoro mais um ano de vida.

Não é uma coisa que isolada que me deixa cansada, mas a rotina exaustiva do dia a dia e o fato de saber que ela faz parte da vida. Mas se me perguntarem se eu trocaria minha vida por qualquer outra eu digo não!  Mesmo com tanto cansaço eu manteria tudo desse jeito.