Mais

O cuidado e a depressão

Gheysa, mãe de Pedro Luiz passou pela depressão e voltou a cuidar de seu pequeno

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Minha depressão pós-parto aconteceu 2 semana após o nascimento do meu filho.

Meu pequeno nasceu com uma infecção e teve que ficar internado, ficou uma semana tomando antibióticos. Eu passava o dia coladinha com ele, dando de mamar, sofrendo ali junto quando ele tinha que tomar as medicações, elas faziam com que ele chorasse muito, e eu do outro lado também, sentia aquele amor infinito de mãe.

Anúncio

FECHAR

Passado uma semana de sua internação comecei a sentir muitas dores e tive que ser internada as pressas, estava eu com uma apendicite aguda, com uma infecção gravíssima, tive que passar por uma cirurgia e quando acordei estava em uma UTI. Passei uma semana no hospital longe do meu filho, sem poder dar de mamar meu leite escorria pela roupa e as lágrimas também.

Passado essa semana fui para casa e foi aí que tudo começou. Não sentia absolutamente nada pelo meu filho, não sentia vontade de tocá-lo, era como se não fosse meu. Além do mais eu não podia segura-lo, estava com uma cirurgia no meio da barriga com mais de 35 pontos.

Eu chorava e me sentia culpado por tudo aquilo, por não estar sentindo aquele amor que eu tinha na primeira semana que ele ficou no hospital, por não saber a hora que comia, nem que dormia… Meu esposo e minha mãe acordavam de madrugada com ele chorando, iam preparar a comida e eu não tinha a mínima vontade de ajudar, já que não podia dar de mamar por ainda estar usando de antibióticos.

Mas com muita paciência e dedicação meu esposo e minha mãe foram nos aproximando, nos deixando sempre juntos… Lembro da minha mãe colocar ele sempre juntinho de mim na cama, e eu o observava e as lágrimas caíam. Fui vendo que ele era meu e que eu precisava ser a mãe dele de verdade.

Graças a Deus tudo passou e agora sei o que é ser mãe de verdade e todo esse amor infinito que sentimos por eles.

Pais&Filhos TV