Mais

Nunca é tarde para brincar

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Você achou que seu filho ia crescer e ficar entediado do faz de conta? Errou feio. O mundo mágico dele continua intacto, o que é ótimo! Aprenda a incentivar sua imaginação

Por Cheryl Lock / Tradução Samantha Melo, neta de Regina, Daniel, Laurinda e Adolpho

Anúncio

FECHAR

Se seu filho tem entre 5 e 6 anos, com certeza usou e abusou das capas, máscaras, espadas e varinhas nos últimos anos. Mesmo já crescidinho, ele provavelmente não vai parar de usar esses objetos tão cedo, só que agora a brincadeira pode ser mais elaborada. Com um vocabulário maior, ideias mais dramáticas e melhor concentração, a brincadeira parece até mais “séria”. E é importantíssima, sem dúvida. De acordo com um estudo da Universidade British Columbia, crianças de cinco anos que sempre brincam de se fantasiar com seus amigos costumam ser mais autoconfiantes e focadas. Então ajude o seu filho a entrar em cena – ou continuar nela.

Ajude a construir o cenário

Aos 3 anos, sua filha pode precisar apenas de uma coroa para ser uma princesa. "Mas as crianças mais velhas não querem só um personagem – elas gastam bastante tempo na construção de um cenário", diz Doris Bergen, professora de psicologia educacional na Universidade de Miami, em Oxford, Ohio. Não jogue fora caixas de papelão vazias: elas podem ser superúteis para criar consultórios, castelos e supermercados. Seu filho provavelmente também vai querer sair pela casa pegando coisas que se encaixem na cena. Portanto, não enlouqueça se o seu pote de molho virar uma piscina de boneca. Basta fazê-lo prometer que tudo estará de volta em seu lugar no final da brincadeira.

Forme o elenco

Convoque outras mães a trazerem seus filhos devidamente fantasiados para uma tarde de brincadeiras. As crianças vão brincar de faz de conta e se divertir com acessórios que você pode providenciar, como um chapéu de bombeiro ou uma guitarra de brinquedo. Coloque na roda uma mala com todas as fantasias do seu filho, no caso de alguém mudar de papel na história. Tudo bem dar um direcionamento para os pequenos no início da brincadeira, mas depois se retire e deixe que eles controlem o faz de conta.

Junte-se à diversão

Pode ser que o seu filho te chame para fazer parte da brincadeira. Se puder, não hesite. Essa é uma ótima oportunidade para ajudar a desenvolver o vocabulário do pequeno sem que ele perceba. Por exemplo, se o seu papel no faz de conta é do paciente em um consultório médico, você pode usar o termo "vacinação", ou se você é o cliente em um restaurante, você pode pedir legumes “refogados”. “As crianças podem usar estas palavras quando brincarem novamente”, diz Elena Bodrova, pesquisadora da Mild-continent Research for Education and Learning, uma organização que defende melhorias na educação, em Denver. Outro benefício: quando você participa, as crianças sentem que essa diversão é boa e podem dar asas à imaginação.

Assista a uma peça

Levar o seu filho para ver uma peça de teatro infantil pode ser inspirador. Observando, ele pode aprender sobre os diálogos, figurinos, e como um personagem se comporta. Depois, talvez  ele incorpore um pouco do que viu em seus próprios “espetáculos”.

Aproveite as férias

Uma sugestão para aproveitar o tempo juntos é montar uma caixa de surpresas com papéis, sucata, massinha, argila, cartas… A psicóloga Daniella Freixo de Faria, mãe de Maria Eduarda e Maria Luisa, prepara uma dessas todo ano para se divertir com as filhas nas férias. Depois da elaboração da obra, você e seu filho, juntos, podem preparar uma exposição ou apresentação.

Outra ideia diferente é brincar de repórter. Com um gravador em mãos, pode sair entrevistando os familiares. Na hora de responder às perguntas, você pode interpretar um personagem, uma cele-
bridade, e inventar respostas.

Se puder tirar um dia para ir ao aeroporto com seu filho e ficar observando da janela os aviões que partem, dá para criar um monte de histórias sobre as pessoas que estão ali dentro, como elas são, para onde estão indo… Dá para viajar nas possibilidades!

Para saber mais


75 ideias para criar meninas mais felizes, de Cynthia MacGregor
A autora dá dicas para transformar qualquer momento em brincadeira, estimulando a inteligência da criança e fortalecendo o afeto com os pais.
Ed. Marco Zero (www.editoranobel.com.br), R$29,90


75 ideias para criar meninos mais felizes, de Ed Avis
Ajuda os pais a aproveitarem ao máximo o tempo junto com os filhos, dando dicas de jogos e brincadeiras.
Ed. Marco Zero (www.editoranobel.com.br), R$29,90

As opiniões e conteúdos expressos neste artigo refletem, exclusivamente, a opinião da Editora Manchete

Pais&Filhos TV