Mais

Mentindo na frente dos filhos

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Todo mundo conta uma mentirinha para sair de algum aperto. mas quando isso acontece na frente dos filhos, aí o bicho pega

Você tem uma reunião na escola do seu filho e liga para o seu chefe dizendo que está doente e não vai poder trabalhar hoje. Ou estava sem vontade de almoçar na casa da sua mãe e escapou dizendo que seu filho está febril. O pequeno ouve. Talvez ele nem assimile na hora ou nem te pergunte nada. Mas, ainda assim, ele pegou você no flagra. O que fazer? Pesquisas apontam que mentimos, em média, sete vezes por dia (como dizem as avós, sete é número de mentiroso, mas…). A maioria delas são mentiras inocentes. A gente sabe que, às vezes, mentimos para não magoarmos as pessoas ou porque achamos que elas não entenderiam se fôssemos sinceros. São as chamadas mentiras inofensivas. Mas as crianças não sabem disso.

Anúncio

FECHAR

O que fazer na hora

Se você foi pego no pulo, o primeiro passo é admitir a culpa. Tentar enrolar o seu filho dizendo que ele entendeu errado é só mais uma mentira. Explique os motivos pelos quais você mentiu e, com cuidado, diga que há situações em que podemos mentir, como para proteger os sentimentos de alguém ou em situações delicadas. Dê bastante ênfase ao dizer que o propósito da mentira deve ser bem avaliado e que só é permitida se não prejudicar ou ofender ninguém. A partir dos 4 anos, a criança já é capaz de compreender a situação, e a partir de 5 anos, ela já consegue entender as consequências. Mas atenção. Se você for pego de surpresa, dê um tempo, pense bem no que falar, e chame-o para conversar mais tarde. E converse mesmo. Se não, aí, sim, seu filho vai te achar um baita mentiroso.

Diferencie

Com o tempo e com jeito, vá explicando a diferença entre mentir deliberadamente e ser educado. Use como exemplos situações do dia a dia. Quando ele ganhar um presente e não gostar, puxe-o de lado e diga que esse é um dos casos em que podemos contar uma mentirinha para evitar magoar a pessoa que teve a consideração de presentear-nos. Assim, quando você elogiar uma blusa que você ganhou e fizer careta depois, ele vai entender que você quis proteger os sentimentos da outra pessoa e não fez por mal. Com isso, ele vai entender melhor as situações sociais.

Dê o exemplo

Para as crianças, não há maior exemplo do que o dos pais. Elas imitam o nosso comportamento. Então, se ele o vir mentindo, vai reproduzir essa atitude no futuro. Ao assimilar a mentira, ele pode entender que é uma forma de fugir de determinadas situações. Mas a mentira não pode se tornar um comportamento aceitável. Por isso, é importante você apostar na honestidade e na franqueza. É quase impossível que o seu filho nunca presencie uma mentira sua, mas, se a prática diária em casa for de honestidade, é muito mais fácil que ele entenda que aquela mentira foi uma exceção, e por um motivo necessário. E lembre-o sempre: mentira tem perna curta! As suas, inclusive.

Para saber mais

O Menino que Odiava Mentira, de Angela Pessoa

John descobre que possui uma aptidão bastante rara – consegue detectar quando alguém está mentindo e começa a perceber como isso é ruim. Ed. Companhia das Letras (www.companhiadasletras.com.br), R$ 50

Verdade e Mentira, de Marcos Serra

Conto com moral em que a verdade e a mentira competem nos jogos olímpicos gregos. Ed. Paulinas (www.paulinas.org.br) ,R$ 15,80

Alice no País da Mentira, de Pedro Bandeira

Lá, Alice descobre coisas importantes na vida de toda criança, como aprender a escolher e a assumir a responsabilidade Ed. Ática (www.atica.com.br),R$ 27,90

Consultoria: Isabela Tostes Poli, filha de Jarbas e Lucia Maria, é terapeuta sistêmica e atua na Paraná Clínicas Planos de Saúde Empresariais em Curitiba. TEL.: (41) 3340-3000, www.paranaclinicas.com.br