Mais

Mal entendido?

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Priscila e o marido adotaram o menino há cinco anos. Além dele, o casal tem mais quatro filhos. Dias depois do episódio na concessionária, a marca publicou uma nota de esclarecimento, dizendo que o ocorrido era um mal-entendido. Consternados, afinal não era a primeira vez que isso acontecia, eles decidiram colocar a boca no trombone, criando uma página no Facebook, chamada Preconceito Não É Mal-Entendido. O caso tornou-se público em fevereiro, já eram mais de 97 mil pessoas apoiando a causa. Nós conversamos com Priscilla, que nos garantiu: o menino está bem e feliz. É assim que queremos e que deve ser!

Como vocês explicaram para ele o que aconteceu naquele dia?
Não começamos a prepará-lo para enfrentar essa situação agora. Isso acontece desde sempre. Ele sabe da adoção, sabe que a cor dele é diferente da nossa. E o preconceito é real no universo em que a gente vive. Colocamos numa perspectiva de uma criança de 7 anos.


Vocês esperavam toda essa repercussão?
Não. Quando criamos a página, foi de forma amadora e divulgamos pros amigos. De repente, começamos a receber milhões de telefonemas. O objetivo da página é ser um fórum de debate. Acho que as pessoas tinham esse grito na garganta. Isso é indignação e não é mal-entendido. Vamos agir pra sermos pessoas melhores, uma cidade melhor, um estado melhor, um país melhor.

Anúncio

FECHAR

A partir dos resultados da página no Facebook, o que será feito?
Ainda não sabemos. Ela virou minha vida de cabeça pra baixo. Agora, precisamos tirar o foco pessoal da página e discutir a questão de uma forma mais ampla. Na página, tem um material muito rico, as pessoas contam as suas histórias. Tenho vontade de compilar tudo, fazer um material e mandar para antropólogos, sociólogos que estudam a sério o preconceito.

Preconceito não é mal-entendido mesmo. Curta a página criada por Priscilla: facebook.com/PreconceitoRacialNaoEMalEntendido

 

Consultoria:
Denise Carvalho, filha de Maria da Fé e João, é Pesquisadora do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV/USP).

Pais&Filhos TV