Mais

Família Buscapé

Simone começou sua carreira artística aos 3 anos, no balé.

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Chamo minha família de Família Buscapé, principalmente porque sempre fomos muito unidos e especialmente engraçados. As minhas lembranças de infância são as melhores possíveis: no Natal, meus pais pediam para que nós escrevêssemos cartinhas para o Papai Noel e sempre deixavam os presentes na sala, como se ele realmente tivesse passado e deixado os embrulhos. Em outras datas, como a Páscoa e os aniversários, faziam a mesma coisa: os ovos de chocolate eram deixados pelo coelhinho e os presentes de aniversário, por uma fada. Era mágico!

Meus pais se casaram muito jovens. Como sempre trabalharam fora, eu e minha irmã, Camila, durante a semana, ficávamos com a minha madrinha, Inês. Mesmo com a rotina apertada, lembro que, aos domingos, sempre visitávamos os parques de diversão da minha cidade natal, Ribeirão Preto, no interior de São Paulo.

Costumávamos passear na Cidade da Criança, que tinha teleférico, roda-gigante, carrinho de bate-bate. Enfim, tudo aquilo que uma criança adora.

Anúncio

FECHAR

Minha irmã é só dois anos mais nova do que eu. Éramos próximas, mas quais irmãos nunca brigaram? Nossas discussões eram verbais e raramente saíamos no tapa. Eu era muito certinha, enquanto ela era mais sapeca. Hoje, ela é casada e tem dois filhos.
 
A única vez em que aprontei foi ao lado do meu primo. Nós fugimos da escola para tomar o lanche na rua, embaixo de uma árvore. A professora nos encontrou e avisou minha tia. Ela apareceu na escola na mesma hora e puxou nossas orelhas. Dá-lhe castigo!

Mesmo com algumas travessuras, minha relação com meus pais sempre foi cheia de respeito e confiança. Durante a infância e a adolescência, achava impossível mentir para eles ou fazer alguma coisa escondido, pois desde pequena me lembro de ter o apoio deles nas minhas escolhas. Mesmo que eu não tivesse idade para alguma coisa, eles me mostravam o melhor caminho.

Era uma relação de muito respeito. Não me lembro de ter levado palmadas. Nem do meu pai e nem da minha mãe. Isso se reflete hoje em dia no meu caráter. Eu sou uma pessoa honesta, jamais passaria por cima de alguém para alcançar os meus objetivos.

Meu pai e minha mãe sempre me apoiaram a perseguir os meus sonhos na carreira artística. Sou artista desde que me conheço por gente. Comecei no balé aos 3 anos de idade e, mesmo com todas as dificuldades financeiras que enfrentávamos, eles me incentivaram, porque viam que a dança era importante para mim. Aos 25 anos, sai de casa e vim para São Paulo. Foi um susto, mas eles nunca me podaram. Nesta época, eles me ensinaram uma lição que vou carregar pelo resto da vida: “cada escolha que fazemos na vida tem uma consequência, arque com ela!”.

Hoje, eles ainda são meus maiores parceiros. Prestigiam todos os meus trabalhos, me ajudam sempre que preciso e têm muito orgulho de mim. Mesmo com 36 anos, ainda ligo para avisar que cheguei bem em casa.
Com a minha família, sempre aprendi a ter fé e ser confiante, para conquistar meus objetivos, além do respeito com os outros.  Algumas lições levarei para o resto da minha vida, como ser solidária, ter fé e ser perseverante.

Devo tudo o que sou a eles!

Simone Gutierrez, filha de Sueli e Francisco, é atriz e cantora. Além de novelas, fez o musical Hairspray e atualmente está em cartaz com Priscilla, A Rainha do Deserto.

Pais&Filhos TV