Mais

Eu detestei amamentar

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

06/09/2012

Por Reshma Memon Yaqub

É difícil admitir que você não gostou de amamentar seus filhos. É quase a mesma coisa que anunciar que você odeia Gandhi, Madre Teresa de Calcutá e filhotinhos de cachorro. Faz com que as pessoas pensem que há algo errado com você.Mas vou confessar: eu não gostei de amamentar meus dois filhos. Para falar a verdade, a experiência doeu insuportavelmente. Depois que meus mamilos viraram bico de mamadeira, eles levaram mais de um mês para ficar com a pele mais resistente. Tive feridas abertas que abriam novamente após cada mamada, ficando cada vez pior.

Anúncio

FECHAR

Veja também:

Eu não consegui amamentar

Eu adorei amamentar

O fato de eu ter lido toneladas de livros dizendo que amamentar não é dolorido se você estiver fazendo certo não ajudou em nada. Tanto que meu médico dizia que eu tirava de letra a técnica. Amamentar também foi exaustivo, para dizer o mínimo. Após uma cirurgia no hospital você, geralmente, vai pra casa ficar em repouso, descansar e se recuperar por vários dias, quando não semanas. Mas, depois do parto, uma "boa" mãe deve despertar e extrair dela fluidos corporais de três em três horas, durante meses a fio.

Eu também tive dificuldades emocionais com a amamentação, que se tornou símbolo de tudo o que mudou na minha vida. Por causa dela eu não podia dormir, enquanto meu marido dormia a sono solto.Amamentar me prendia ao meu bebê 24 horas por dia – um bebê que eu queria e amava, claro, mas que estava me consumindo. Eu não tinha como partilhar o fardo. Todo mundo ficava feliz de cuidar do meu bebê enquanto ele estava tranquilo, mas, quando se agitava, imediatamente o entregavam de volta para mim, certos de que a cura para qualquer problema só poderia ser encontrada debaixo da minha blusa.

Além de tudo, a amamentação pode ser uma experiência solitária. Nunca me senti à vontade mostrando o peito na frente de amigos e família em casa, quanto mais em público. E eu sentia que as pessoas ficavam incomodadas também. Todo mundo fala da importância de amamentar, mas ninguém facilita a vida das mães que precisam dar de mamar fora de casa.Apesar de tudo, porém, eu amamentaria novamente se tivesse outro bebê. Sei que parece loucura, mas eu não posso dizer “não” com a consciência tranquila, levando em conta todos os benefícios para a saúde do bebê e sabendo que só depende de eu querer.

Encaro a questão da amamentação como um dos inúmeros sacrifícios que as mães fazem em benefício dos filhos.Há algumas coisas na maternidade que são difíceis de gostar (trocar fraldas, ficar sem dormir e economizar para a faculdade), mas eu amo meus filhos o suficiente para suportar a dor e fazer tudo de novo.

Ou vai ou racha

A especialista em amamentação Leigh Anne O'Connor e as internautas da Parents ensinam a amamentar sem dor

  Pomada para os mamilos: pomadas à base de lanolina em grau médico hidratam e cicatrizam fissuras. Lansinoh, R$ 21, o tubo com 7g  (www.euromarket.com.br)

Opinião de mãe: "Comecei colocando creme sobre os meus mamilos um mês antes do nascimento, a fim de prevenir a dor. Isso tornou o processo de amamentação muito mais fácil no início", diz  Mabo Utwell

Almofadas de gel para amamentar: coloque-as na geladeira antes de usar. Isso dará uma sensação ultracalmante. Almofadas calmantes Nuk, R$ 53,90 (www.nuk.com.br)

Opinião de mãe: "As almofadas salvaram a pátria totalmente!
Eu usava no meu sutiã o tempo todo” – arlyinthemorning7

Uma nova posição: pergunte a seu médico, parteira, babá etc. se eles podem sugerir uma posição mais confortável para você segurar o bebê enquanto ele mama.

Opinião de mãe: "Aconchegar minha filha debaixo do meu braço, como se segurasse uma bola de futebol americano, funcionou melhor do que a posição tradicional. Assim ficou muito mais fácil guiar a boca do bebê para o meu mamilo" – Q 's momma

Se você tentar tudo isso e a dor persistir, consulte o seu médico.

Pais&Filhos TV