Mais

Disney só com o papai

Alexandre Machado e suas filhas gêmeas, só na diversão!

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Enquanto a mulher, Fernanda Young, tomava conta dos filhos caçulas, Alexandre deu uma de super-herói, tirou umas férias e se mandou com as duas mais velhas, de 10 anos, para Orlando. E amou! Saiba como foi a saga de um pai com filhas gêmeas em plena Disney

Por Alexandre Machado, neto de Delphin, Philomena, Jose e Adelaide

Anúncio

FECHAR

Temos, eu e Fernanda, duas filhas gêmeas, de 10 anos, e um casal menor, de nenéns. Como os pequenos ainda não têm idade para aproveitar uma viagem a Orlando, estamos tendo que separar a família: Fernanda fica com os nenéns e eu vou com as meninas maiores. Todo mundo fica abismado quando eu conto que fui para Orlando com elas, e adorei. Um cinquentão todo tatuado e duas garotinhas. Pode existir grupo mais estranho?

Costumamos ficar em hotéis dentro da Disney e isso ajuda. Os quartos são amplos, o lugar é sempre seguro para crianças e simpático aos adultos. Sempre alugamos carro e isso, em Orlando, está cada vez mais fácil. A devolução dos carros no aeroporto, por exemplo, é muito mais simples que estacionar num shopping de São Paulo. A retirada, na chegada, também é bem tranquila e, com esse voo diurno direto da Tam, você pode sair do Brasil na hora do almoço e, às 10 da noite, já está no seu quarto. Exausto, claro, mas com o dever cumprido.

Crianças são difíceis para comer, cheias de manias, então o que eu faço é dar uma relaxada nesse item. Comam besteiras, mas se alimentem. No quarto, permito uma bagunça organizada. Como sempre vamos num mês quente, encho as as duas de protetor solar antes de sair do quarto, de manhã, e obrigo a tomar água o tempo todo. Não sou daqueles que faz planos certinhos, deixo as coisas meio que rolarem, a partir de um planejamento mínimo. Um parque por dia, com umas comprinhas no final do dia, eis a meta básica.

Para compras, os outlets e os shoppings de Orlando cobrem os interesses de adultos e crianças. Gosto de fazer compras, fato raro entre homens, por isso não vejo com desprazer o percurso interminável de lojas. A Fernanda sempre faz encomendas de coisas, e eu vou quitando. Da última vez que fomos, descobri o Super Target, que tem muitas coisas legais por preços bons.

Faço as meninas responsáveis por certos “departamentos” da viagem e isso, além de realmente dar uma aliviada nas minhas responsabilidades, dá a elas uma participação ativa no divertimento geral. Por exemplo, deixo uma responsável pelas listas de lugares e pelos mapinhas, e a outra responsável por levar a câmera e o celular (mantendo-os carregados). Sou um pouco distraído com papeladas, então peço para elas ficarem de olho em mim, verificando se não estou esquecendo coisas pelos cantos. É, precisa ser um trabalho de equipe.

[!page]

Criança perdida

Uma delas se perdeu de mim, por alguns minutos, da última vez que fomos. O Magic Kingdom estava mais lotado do que nunca, muito calor e, de repente, cadê ela? Foram os minutos mais agonizantes da minha vida – embora a gente saiba que vai acabar encontrando a criança, enquanto isso não acontece, a sensação é devastadora.

Estabelecemos uma regra desde então: caso alguém se perder, ficar parado no mesmo lugar. Não se mover, que uma hora eu encontro. Combinar lugares para se encontrar em caso de perda não funciona com crianças, pois elas esquecem o combinado. Enfim, atenção redobrada é fundamental. Você pode até se divertir, mas jamais irá relaxar. Quem é pai, sabe do que eu estou falando.

Os parques são campos de batalha, onde famílias lutam pela diversão de suas crianças. Evite, portanto, se aborrecer nas filas e aglomerações. Eu me irritava com pessoas folgadas, e isso é uma ida sem volta. Pais têm direito de ser folgados quando estão defendendo a alegria de seus filhos, aprendi.

Para os mais impacientes, recomendo a Margarita Frozen vendida na parte mexicana do parque Epcot. Aliás, o Epcot, com o qual eu implicava, tem se mostrado uma agradável surpresa. Tem cantinhos e restaurantes legais, brinquedos que agradam a todas as idades, e sempre está mais vazio que os outros parques.

Temos o costume de levar mais coisas do que vamos usar, então, a cada ano que passa, tento minimizar esse erro. Há um espírito praiano em Orlando que permite shorts e chinelos em todos os lugares, sem gafes. As minhas meninas precisam de um “sargento” de cabelos, senão passam dias descabeladas. “Ordeno” que lavem o cabelo e desembaracem, tirando os nós.  Senão, na volta pro Brasil, estão duas rastafáris com dreads.

Chega um dia, lá pelo meio da viagem, que você começa a desejar voltar. Isso é bom e é ruim, pois pode afetar o moral da equipe. Quando a saudade de casa bater, lembre-se que aqueles momentos, ali, são únicos. Tenho minutos de paz e felicidade com minhas filhas nessas viagens que sei que nunca iremos esquecer. E é disso que a alegria da vida é feita: acumular bons momentos na memória.

[!page]

Pacotes para a Disney

Agaxtur
Quando: 10 noites – saída em 24 de julho de 2011
Quanto: US$ 3.217 por pessoa
Inclui passagem aérea, hospedagem, traslados, ingressos, tour de compras, seguro viagem, guia turístico, entre outros.
Tel.: (11) 3067-0900, www.agaxtur.com.br

Suncoast
Quando: 10 noites – saída em 20 de julho de 2011
Quanto: US$ 3.673 por pessoa em quarto duplo
Inclui passagem aérea, hospedagem, ingressos, guia turístico, passeios, tours de compras, assistência de viagem, entre outros.
Tel.: (11) 5094-5400, www.suncoastusa.com.br

CVC
Quando: 12 noites – saída em 8 de julho de 2011
Quanto: a partir de US$ 3.978 por pessoa
Inclui passagem aérea, traslados, ingressos, tour de compras,
seguro viagem, um jantar, entre outros.
Tel.: (11) 2191-8911, www.cvc.com.br

Como alugar um carro

Uma carteira de motorista (a brasileira mesmo) e um documento (pode ser o RG) são o suficiente para alugar um carro em Orlando.

O aluguel é feito ainda no Brasil, com pagamento em reais. Chegando lá, ao lado das esteiras de bagagem do aeroporto, já tem um balcão de atendimento da empresa Dollar Rent A Car, que faz o aluguel, para retirar o carro.

Na estrada, é importante estar sempre com o passaporte e um cartão, já que alguns pedágios dos Estados Unidos não aceitam mais dinheiro. Uma opção é o Pass 24, que dá direito a passagens ilimitadas.

Entre 10 de julho e 20 de agosto, o valor do aluguel é a partir de US$ 224 por semana ou US$ 53 por dia. Os preços variam conforme a categoria do carro.

Dollar Rent A Car
Tel.: (11) 5506-0900, www.dollar.com

O que fazer se seu filho se perder?

Nesta época do ano, os parques ficam muito cheios e é muito comum os pais perderem o filho
no meio da multidão. Como os funcionários estão acostumados com isso, sempre que encontram uma criança perdida levam para um lugar do parque chamado Guest Relations. Ela fica ali até os pais aparecerem. E sempre vai ter algum funcionário que fala português (está cheio de brasileiros trabalhando lá) para ajudá-la no que for preciso.

Documentação para viajar sem um dos pais

Para viajar com apenas um dos pais, a criança precisa de uma autorização com assinatura do outro reconhecida em cartório. Para viajar sozinha, a autorização deve ter firma reconhecida de ambos. Em qualquer um dos casos, o documento precisa ser feito em duas vias e conter o prazo de validade.

Desde o início de junho, não é mais necessário colar uma foto na autorização e nem reconhecer firma por autenticidade (na presença de um tabelião). Como os novos passaportes (da cor azul) não possuem a filiação, é importante que a criança embarque também com o RG e a Certidão de Nascimento.

Pais&Filhos TV