Mais

Depoimento Shemina Romano

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

18/01/2013

"Olá, meu nome é Shemina , tenho 34 anos e moro em BH, e amei o levantamento da bandeira culpa não…Não consegui ter um parto normal e humanizado , que tanto busquei desde o primeiro minuto que descobri que iria ser mãe. Procurei um médico que era especializado em parto humanizado e durante 9 meses fiz o acompanhamento com ele me preparando pra um parto normal e tranquilo, que me permitisse um fortalecimento de vínculo com meu filho desde o primeiro minuto. 

Começo dos problemas: meu médico, como a maioria dos obstetras cobra uma taxa de disponibilidade para estar presente na hora do parto, taxa cobrada à parte, na maioria das vezes, à vista, que pelo que pesquisei está na faixa de R$2.500 aqui em BH. Como não tinha me preparado para este fato, o meu zelo e cuidado por procurar um parto humanizado tinha ido por água abaixo, pois não teria como pagar esse valor ao meu médico e ficaria a mercê dos médicos de plantão, que na fala do próprio doutor, ele sempre disse que os médicos de lá sempre optavam por parto cesárea por ser mais rápido e por pagar mais nos honorários médicos.

Anúncio

FECHAR

Entrei em trabalho de parto no dia 23/06 a 01 da manhã e fui acompanhando as contrações até ligar pra minha doula e ela vir até minha casa e confirmar o trabalho de parto ativo. Fomos para a maternidade e lá chegando o médico de plantão induziu o meu parto, pois a dilatação estava pequena com ocitocina tornando ainda mais dolorosas as contrações. Cheguei por volta das 13 horas e fiquei até as 15h implorando pela anestesia peridural, pois as dores estavam intensas demais. Me levaram para uma sala isolada de todos, onde fiquei sozinha, sem meu marido ou enfermeiras aguardando a evolução do parto, dormi acordei e nada de ninguém vir, o médico me examinou umas duas vezes nesse intervalo de tempo e nunca me esclarecia nada, saia resmungando e reclamando porta a fora. Por volta das 21 horas ele entrou  na sala, me examinou e depois de muito puxar e empurrar deitou a maca e disse: 'é vai ter de ser cesárea mesmo'. Detalhe, não disse a mim, disse para as enfermeiras, levei um tempo pra que a ficha caísse e apavorada perquntei se era isso mesmo e ele disse que o bebê não havia descido o suficiente…começei a implorar novamente pela presença do meu marido e eles diziam que na hora certa eles o buscariam, quando o médico já estava com os campos preparados, e iria fazer a incisão perguntei novamente do meu marido e lembraram de ir buscá-lo. Às 21h30 nascia o Lorenzo, que quase não ví pois deixaram ele comigo por cerca de 3 minutos e o levaram embora…só o ví novamente quando voltava para o quarto quase 1 hora depois…

ESSA é a culpa por não ter conseguido parir naturalmente, mesmo depois de muita busca por informação, médico especialista e doula…a cesárea não foi escolha minha e a sociedade moderna, que apoia o parto humanizado  insiste em dizer que a opção é nossa…como é nossa? Na maca indefesa sem conseguir levantar você discutiria com um médico se ele estava mesmo sendo honesto com a necessidade da cesárea ou se ele apenas gostaria de ser mais rápido e ganhar mais? Tive de excluir várias pessoas de minha lista de contatos, pois toda hora me falam em parto humanizado …e estou traumatizada o suficiente para não querer ouvir mais o assunto.

 

CULPANÃO!!

Shemina Romano, mãe de Lorenzo, 6 meses

Pais&Filhos TV