Mais

Depoimento Maria Clara

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

22/01/2013

Maria Clara Patrício Marques de Lima, mãe de Davi, 2 anos


“Logo quando descobri que eu estava grávida, meu maior medo era a hora do parto… Li muito, pesquisei… Mas nada me tirava a angústia de entrar em trabalho de parto e sentir aquelas dores horríveis que todo mundo sempre me contava!

Estava decidida pela cesárea, conversava sempre com a minha médica e optamos por marcar o parto.

Anúncio

FECHAR

Quando completei 36 semanas, fiz uma ultra pra saber se estava tudo certo com o meu pequeno… Como estava contando com a ajuda da minha mãe e suas férias iriam até o fim de Janeiro, pedi a minha médica que marcasse o parto, se estivesse tudo de acordo, para o início de Janeiro.

Como pela ultra estava tudo perfeito com o meu menino, a médica optou por marcar o parto para o dia 10/01/2011… Data em que eu estaria com 37 semanas e 2 dias! Eu estava muito nervosa, mas confiante que estava nas mãos da melhor médica!

Quando o Davi nasceu, não pude nem olhá-lo direito, tiveram que correr com ele para a UTI, pois ele teve algo que chamaram de Taquipnéia Transitória, o bebê não se adapta ao mundo exterior e precisa aprender a respirar!

Quando me dei conta do que estava acontecendo, veio a culpa… Culpa por não ter esperado a hora dele, por ter decidido algo que a natureza faz sozinha…

Ele ficou 8 dias na UTI NeoNatal, passando por diversos procedimentos e por fim, a intubação. Foi muito difícil ver meu filho, tão pequeno, passando por aquilo tudo. Apenas no seu 2º dia de vida extrauterina foi que pude pegá-lo no colo e tentar amamentar.

Graças a Deus, hoje ele é um menino saudável, enorme e feliz! Não ficaram resquícios de problemas respiratórios! Hoje, tendo passado por tudo isso, penso em esperar a natureza seguir seu curso, sem culpa!”
 

Pais&Filhos TV