Mais

De ônibus, sim!

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Você tem todo o direito de usar o carrinho de bebê no transporte público, só precisa de paciência.

Sair com o bebê, sabemos, não é tarefa fácil. Você carrega no mínimo uma bolsa grande e lotada (de fraldas, lenços, troca de roupas – a lista é longa) e um carrinho. Mas aí vem outra dificuldade: calçadas irregulares, guias sem rebaixamento, ônibus sem “rampa” para entrar… E o que era para ser um passeio gostoso pode causar uma bela dor de cabeça.

Itauana Ciribeli, mãe de Miguel, que mora em Fortaleza, resolveu arriscar-se pelo metrô de São Paulo e não pensou duas vezes em levar o menino junto. “Sem dificuldade, encontrei as sinalizações que indicam os caminhos para as pessoas preferenciais”, contou.

Anúncio

FECHAR

Empolgada, Itauana decidiu, então, ir à Rua 25 de março, e aí veio o problema. A estação do metrô mais próxima ao local é a São Bento, que ainda não está equipada com elevadores, plataformas e rampas, o que torna difícil o acesso a idosos, pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida e mães com carrinhos de bebê.

As companhias administradoras de transportes públicos recomendam o uso dos elevadores e dos assentos e locais reservados. Mas nem todo lugar tem esses benefícios. Segundo o Portal Mobilize Brasil, a cidade de Curitiba tem 90% dos ônibus acessíveis. É a maior porcentagem do país, seguido por Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro (RJ). A cidade de São Paulo está em sexto lugar.

Algumas mães chegam a desistir de sair de casa por conta das dificuldades. “Precisamos contar com a boa vontade das pessoas”, diz Thaís Ventura, mãe de Eduardo e que mora no Rio de Janeiro. E é verdade. Muitas vezes, pessoas que você nunca viu estão dispostas a segurar uma parte do carrinho para descer a escada, ainda bem!

Aos poucos, a experiência vai dando dicas de como driblar os eventuais problemas. Mariana Miranda, mãe de Isabella, recomenda não sair de casa nos horários de pico. “Procuro sempre levar alguém comigo”, conta a moradora de São Paulo.

Se você precisar de ajuda, não tenha vergonha de pedir ao motorista do ônibus, por exemplo. As empresas devem treinar seus funcionários para usar os equipamentos de acessibilidade da forma certa. O transporte público é um direito de todos, inclusive do seu pequeno cidadão.

Pais&Filhos TV