Mais

Cirurgia plástica cortou dutos e impediu Andrea de amamentar

Gerente de negócios contratou enfermeira especializada para ajudá-la

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

20/09/2012


Quando fiquei grávida, comecei a me preparar para receber a Adriana e junto com todos os preparativos me preparei para amamentar. Durante a gravidez, meu médico sugeriu que, na hora do parto, eu tivesse o acompanhamento de uma enfermeira especialista em amamentação. Acatei a sugestão e contratei a enfermeira. Marquei uma conversa com ela para iniciarmos a preparação. Me ensinou a preparar o peito, o bico do peito… Toma sol, passa bucha, puxa o bico. Me orientou com os cremes para passar antes e depois. Contei que aos 17 anos fiz redução de mama, o que pode atrapalhar a amamentação. É uma incógnita. Não dá para saber se o leite vai ou não descer, depende da quantidade de “dutos” que foram cortados na cirurgia. Como eu voltaria logo a  trabalhar, comprei a bomba para tirar leite, potinhos para armazenar, enfim estava tudo preparado. Chegou o dia de a Adriana nascer! Lá fui para a maternidade toda feliz. Encontrei a equipe médica me esperando e, junto, a enfermeira especializada… A Adriana nasceu e logo já a colocaram no meu peito. Já na maternidade começaram a dar 30 ml de complemento. A Adriana berrava de fome, eu dava o peito e depois a mamadeira. Enquanto estava na maternidade a enfermeira especializada foi me ver para ver como o processo de amamentação estava indo… O meu leite não desceu na maternidade.

Fui para casa com a Adriana tomando os 30 ml de complemento, liguei para pediatra, perguntei que leite comprava e fui! Cheguei em casa, dava o peito e complemento. Na primeira noite, tudo bem. Na segunda, a Adriana berrava de fome. Depois de 1 hora com ela chorando, fui até a cozinha e fiz mais 30 ml. Dei, ela mamou e dormiu. Ou seja, do meu peito não estava saindo nada de leite. O leite já devia ter descido, o meu peito estava enorme, mas minha filha chorava de fome. Liguei para enfermeira especialista em amamentação (isto era quinta feira, tinha saído da maternidade na segunda) e pedi para ela ir na minha casa. Ela foi à noite na hora de dar de mamar. Quando ela chegou, eu estava com o peito de fora com a Adriana no colo… Lembro direitinho que quando me viu, ela falou nossa vc tem muito leita, mas ele não descia e minha filha passava fome.

Anúncio

FECHAR

ela ficou uma hora e meiamassageando um peito para sair literalmente três gotinhas de leite. Enquanto massageava, colocávamos a Adriana no bico para estimular o peito também e ela continuava berrando de fome. Não podia dar o complemento na mamadeira, pois ela tinha que ajudar no processo e pegar o bico do peito (se tivesse alimentada ia dormir e não ajudaria). Aí eu decidi que iria secar o leite. Eu teria que fazer isso toda vez que fosse amamentar durante quatro dias e, enquanto isso, a Adriana iria ficar passando fome. E isso tudo não garantia que o leite desceria. Decidi que não queria minha filha passando fome e chorando. Desde a primeira semana, minha filha está só na mamadeira. Ela acabou de fazer 1 ano é uma criança feliz, alegre e, principalmente, saudável. Neste ano que passou, ela não teve absolutamente nada de doença. Não tenho culpa nenhuma de não ter amamentado, decidi por alimentar a minha filha da melhor maneira que me era possível. E, no meu caso, esta maneira foi dar mamadeira.

Pais&Filhos TV