Mais

Bento Ribeiro, filho de Berenice Ribeiro e João Ubaldo Ribeiro

Os conselhos de Bento Ribeiro para o pai famoso, João Ubaldo Ribeiro

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

João Ubaldo escreveu um livro falando dos conselhos que seu pai lhe dava. Convidamos o filho dele, Bento, a também dar os seus

Bento Ribeiro, é ator, participa dos programas Furo MTV e Comédia MTV

Anúncio

FECHAR

Quando escrevi a minha peça (chamada Zapeando), dava o texto para os meus pais, e meu pai lia e me dava umas dicas. Antes dessa peça, quando eu ainda estava na faculdade, escrevi outra, e sempre dava para ele, pedia para que desse uma sugestão. Li a maioria de seus livros. Ele é meu autor preferido, junto com Stephen King, Brad Meltzer, Alan Moore… É importante ter a opinião de alguém como ele.

Eu não li o livro novo de meu pai ainda, mas sei que ele foi escrito baseado nos conselhos que recebia de seu pai. Cheguei a conhecer meu avô paterno, mas ele morreu quando eu era novinho, então não me lembro exatamente dos conselhos dele. Mas uma recomendação que meus pais sempre me davam era: “Cuidado com o sereno!”, era uma neurose que eles tinham. Por vários anos pensei que o tal do sereno fosse um pedófilo argentino que andava pelas ruas de Itaparica, onde morei até os 10 anos.

Meus pais são supertranquilos, sempre me ajudaram pra caramba, dando apoio, nunca cobraram nada além do que eu podia oferecer. Apesar disso, um episódio que deu um pouco de estresse foi quando comecei a fumar. Fumo desde os 21, mais ou menos. Meu pai fuma há muitos anos, mas, quando descobriram na minha casa que eu estava fumando, levei um esporro. Por causa disso, fumei fora de casa por um tempo, mas agora todo mundo já sabe. Outra parte difícil da convivência era mostrar para eles o meu boletim. Minhas notas eram péssimas, e eles davam bronca, era bem ruim.

Repeti o ano umas três vezes, na época da sétima e oitava série e do primeiro colegial. Meu pai me deu um conselho importante para estimular os estudos. Ele falava: “Podem tirar tudo de você, menos o que você tem na sua cabeça”. Mas acho que não conseguia me adaptar àquele esquema tradicional de colégio, achava um saco, não conseguia aprender nada às seis da manhã. Estudava por conta própria os assuntos que me interessavam mais: lia os livros que eu achava mais legais e os quadrinhos de que gostava. Tanto que isso acabou sendo um dos meus grandes prazeres, que é desenhar. Ilustrei um livro de poesia chamado Sonhos da Insônia, do Geraldo Carneiro, que tem a tradução de alguns poemas do Shakespeare. Não penso em seguir essa carreira, porque agora estou com outras ambições, outros projetos. Tinha um sonho de fazer quadrinhos quando era mais novo, mas agora faço mais por hobby mesmo.

10 bons conselhos

Partindo do princípio que se conselho fosse bom, ninguém dava, os conselhos que daria ao meu pai são:

  •  Pratique Tai Chi Chuan;
  • Dê uma chance e assista ao novo filme do Batman (Batman – O Cavaleiro das Trevas);
  • Aprenda o juramento do Lanterna Verde; 
  • Pare de assistir ao Vídeo Show (é o único programa que ele assiste);
  • Compre uma TV de LCD e tire aquela de tubo da sala;
  • Construa uma piscina para que você mesmo possa aproveitar;
  • Escreva A Casa dos Budas Ditosos 2;
  • Compre um papagaio (os que ele tinha ficaram na ilha de Itaparica);
  • Pare de fumar (esse eu poderia dar para mim também).

Para saber mais


Dez Bons Conselhos de Meu Pai, de João Ubaldo Ribeiro
.
Resume a ideologia do pai do autor em 10 dicas.
Ed. objetiva,
R$ 34,90
(www.objetiva.com.br)

Pais&Filhos TV