Mais

A depressão que chega sem bater

Patricia, mãe de Isadora, conta como desmascarou a depressão

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Entendi que a depressão pós-parto é mascarada, não se revelou logo de imediato, naquele momento mágico onde a ficha vai caindo uma a uma vagarosamente, sem interromper o momento de hipnose entre mim e a minha filha. Chegou sem bater e muito brusca, jogou na minha cara a responsabilidade imediata ‘de agora em diante’ acorde porque a sua filha já nasceu e você tem mil coisas para pensar e fazer!!

Considerei SIM como uma depressão pós-parto, mesmo que rápida, nem tive tempo para digeri-la porque sofri muito com a recuperação e dor da cesárea, chorei durante 15 dias por cicatrizes que insistiam em me questionar: Você está pronta para ser mãe?

Anúncio

FECHAR

Aquela menininha de 3 dias precisava mamar e meus seios já rachados e doloridos, eu queria sumir por algumas horas, mas não podia porque tudo dependia de mim, afinal de contas tudo estava só começando, eu ainda teria 5 meses de licença pela frente e ficaríamos só nós duas em casa.

A família tenta ajudar da melhor forma, mas às vezes me irritava porque eu não queria pentear o cabelo, escovar os dentes, trocar de roupa, receber visita, mas ninguém avisava, já aparecia sem nem se dar ao luxo de telefonar e eu me esforçava para sorrir.

Eu só queria um pouco de paz, ficar no escuro com a minha filha, incorporar a mãe que estava por vir.

Logo me dei conta da realidade e tudo ficou bem, voltei a sorrir sem dor e curtir o momento mais esperado da minha vida, hoje me divirto com uma menina linda de 3 anos, com muita energia e sabedoria, aprendemos juntas e todos os dias cada uma no seu papel, eu de MÃE e ela FILHA.

Pais&Filhos TV