Gravidez

Sexta Semana


Mãe

Seus mamilos ficam mais salientes e escuros e aparecem veias azuladas sob a pele. Você já pode ter ganhado peso (não ultrapasse 1,6 kg no 1º trimestre se começou a gravidez com peso normal). Outros sintomas: azia e constipação intestinal. Para o bom funcionamento do intestino, aumente a ingestão de líquidos, faça exercícios físicos (depois de conversar com seu médico) e coma alimentos ricos em fibra, como ameixa e cereais integrais.

Leia mais:
Exercícios e gravidez formam uma boa combinação

Bebê

O sangue já circula pelos tubos sanguíneos do bebê. O aparelho digestivo começa a se formar. Começa a se delinear o rosto: os olhos se desenvolvem, surgem o nariz, os canais dos ouvidos e o queixo. O tamanho é de 2 mm a 4 mm, medindo do topo da cabeça às nádegas (altura do bebê sentado). Já dá pra ouvir as batidas do seu pequeno coração.

Anúncio

FECHAR

Leia também:
Risco de perder o bebê cai drasticamente assim que o coração bate

Pai

Nesta fase, ao contrário do que já aconteceu com a parceira, é que seus hormônios vão começar a mudar.Você se sente em pânico? Normal. O nível de cortisol, o hormônio do estresse, se dá por aqui, um pouco antes, um pouco depois, dependendo do homem. É ele que o instrui a ficar atento. Afinal, o ser humano se desenvolveu precisamente porque existem ao menos dois adultos para cuidar dos filhotes. O papel do pai é manter predadores longe da potencial prole.

Leia mais:
O que esperar (dele) quando se está esperando

Gêmeos

Os sintomas costumam ser mais intensos, inclusive vômitos e enjoos. Para controlar a situação, beba muito líquido, mas em pequenos goles, para não estimular ainda mais o enjoo. Se vomitar muitas vezes, mais que oito por dia, ligue para o médico. Nunca tome remédios por conta própria. Embora sangramentos e cólicas leves possam ocorrer sem representar risco, sempre avise o médico. Até a 10ª semana, em 20% das gestações de múltiplos, pode ocorrer o aborto espontâneo de um dos bebês.

Saiba mais sobre: Gravidez de múltiplos 

Alimentação

Restrinja o consumo de café. Pesquisas recentes mostram que não existem níveis seguros de consumo de café na gestação. Se não conseguir cortar completamente, tente trocar pelo descafeinado. O corpo da gestante demora até quatro vezes mais para metabolizar a cafeína, que atravessa a barreira placentária, e o consumo de café na gravidez é associado a baixo peso do bebê e a risco maior de parto prematuro. Refrigerantes do tipo cola, chá e chocolate também contém cafeína, portanto, maneire no consumo também.

Veja mais:
Café, só em casa