Gravidez

Você sabia que dá para descobrir o sexo do seu bebê no início da gestação?

O exame pode dizer se é menino ou menina antes mesmo ultrassom

Isabela Kalil de Lima

Isabela Kalil de Lima ,Filha de Kátia e Fabio

O exame de sexagem fetal pode determinar o sexo do bebê antes da 12ª semana (Foto: Shutterstock)

O exame de sexagem fetal pode determinar o sexo do bebê antes da 12ª semana (Foto: Shutterstock)

É menino ou menina? Assim que descobrem a gravidez, uma das coisas que os pais mais têm vontade de saber, depois da saúde do bebê, claro, é o sexo. Com o ultrassom convencional, no entanto, só é possível ficar sabendo disso depois da 12a semana de gestação. Existe um exame, porém, chamado de sexagem fetal, que pode ser feito antes desse período. A partir da 8ª semana já dá para matar a curiosidade.

Leia mais:

Posições sexuais podem determinar o sexo do bebê?

Anúncio

FECHAR

Menino ou menina? Como lidar quando o sexo do bebê não é o que você queria

10 coisas que você precisa saber sobre a gravidez

A sexagem fetal é um exame de sangue simples, feito sem precisar ficar em jejum ou qualquer outro tipo de preparo. “O procedimento não coloca em risco a vida do bebê e nem da mãe e inclui a busca pelo cromossomo Y, que indica o sexo masculino, no DNA da mãe”, explica o especialista em Medicina Fetal Javier Miguelez, pai de Pedro e Gabriel.

O especialista, responsável pela análise no laboratório Fleury Medicina e Saúde, afirma que o exame oferece 99% de acerto. Exceto em alguns casos, como quando a mãe fica grávida de gêmeos e acaba perdendo um dos bebês antes do nascimento. “Quando isso ocorre, mesmo que o bebê não esteja mais na barriga da mãe, ainda pode ter resquícios do DNA no tecido placentário, que podem influenciar no resultado do exame”.

9 segredos sobre a gravidez que ninguém te conta (mas deveria)

14 relatos engraçados que provam como o cérebro muda na gravidez

A curiosidade, porém, não é a única coisa que o exame pode sanar. Quanto antes souber o sexo, melhor será a condução da gravidez. Isso porque sabendo se é menino ou menina, o exame pode ajudar a prevenir doenças genéticas. Hemofilia (distúrbio em que o sangue não coagula normalmente), distrofia de Duchenne (complicação que provoca fraqueza muscular) e hiperplasia adrenal congênita (que causa distúrbios no funcionamento das glândulas que produzem hormônios importantes para o organismo) são algumas delas.

Se houver suspeita de hiperplasia adrenal congênita no bebê, por exemplo, a mãe pode ser medicada até que novos exames possam ser feitos para definir se a doença realmente existe e quais as próximas etapas do tratamento.

“Estas doenças devem ser pesquisadas quando há historia prévia na família dos pais e ocorreu uma gestação espontânea”, afirma o médico ginecologista obstetra Dani Ejzenberg, pai de Davi e Michel . Além disso, o exame de sexagem fetal é indicado para mulheres que engravidam a partir dos 35 anos. “Costumo recomendar também quando o pai ou a mãe tem uma alteração genética conhecida ou quando o casal já tem um filho com alteração genética”, acrescenta especialista mestre e doutor pela USP (Universidade de São Paul0).

O exame, que fica pronto em cerca de dez dias, já pode ser feito em diversos laboratórios, como Lavoisier, Delboni Auriemo e Albert Einstein. Os valores variam entre R$ 300 e R$ 750.

Sete dicas para fazer exame de sangue

Exame detecta risco de depressão pós-parto