Gravidez

Vida nova em 40 semanas

Começamos do começo mesmo: as 40 semanas de gravidez até seu bebê nascer e um mundo novo e maravilhoso começar pra vocês

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

1 semana

A gravidez é contada a partir do primeiro dia da última menstruação. Isso porque a maior parte das mulheres não sabe exatamente o dia em que engravidou. Assim, a gravidez tem 280 dias ou 40 semanas ou, ainda, 10 meses lunares (mês de 28 dias). Na prática, na primeira semana você ainda não está nem mesmo grávida. Pra você ver que na gravidez o tempo muda.

Anúncio

FECHAR

2 semanas

Pelas razões que a gente explicou acima, nesta semana ainda não rolou nada na prática. Você pode estar tentando engravidar porque planeja ter um filho agora. Ou não planeja exatamente, mas o desejo já está lá, com certeza, e parece que a notícia vem do nada… Vem da sua vontade. Confie.

3 semanas

Esta é a primeira semana de fato da gravidez. Aqui, o espermatozóide encontra com o óvulo. Em mais 24 horas, as duas células de seu futuro bebê se transformam em quatro, oito… Ao atingir 16, ele chega ao útero e se implanta. Quem engravidou por inseminação artificial sabe o dia exato, olha que bacana, e pode começar já um diário.

4 semanas

Pode rolar uma sensação de frustração para algumas, porque, com a implantação do óvulo, às vezes acontece um pequeno sangramento e você pode achar que vai ficar menstruada. “Ainda não foi desta vez”, pensa. Que nada, foi sim: você está grávida!

5 semanas

Você sente os sintomas do período pré-menstrual: cansaço, seios doloridos, aquele humor ou uma vontade inexplicável de chorar, buáááááááá… Só que… a menstruação não chega no dia previsto. Hora de fazer um teste. De farmácia mesmo resolve. Cole o resultado no seu diário de gravidez.

6 semanas

Se você é do tipo que enjoa muito, pode não estar se sentindo aquela maravilha. Sem contar o sono incontrolável, que faz a gente se sentir como se tivesse sido picada pela mosca tsé-tsé. É o seu organismo dando o recado: se liga que, agora, esse corpo não  pertence só a você, tem de pegar mais leve mesmo. Não discuta com a natureza. Obedeça e pronto.

7 semanas

Você se sente como uma grávida, mas ainda não aparenta ser uma. Às vezes, você fica tão ligada na barriga que se esquece de todo o resto; outras, se concentra nas atividades diárias e até esquece que está grávida. É assim mesmo, relaaaaaaaxa… Quem espera gêmeos deve descobrir por aqui.

8 semanas

Ai, que sono! A fadiga deixa você fora de combate. Se você começa a assistir a um filme, pode crer que, antes de terminarem os créditos iniciais, você já caiu no sono.A boa notícia é que os seios aumentam, podendo chegar a ficar quatro vezes maiores ao final da gravidez. Oba!

9 semanas

Se você ainda não tinha percebido que estava grávida, agora deve cair a ficha: já é a segunda menstruação que não vem. Seu apetite sexual se altera. Algumas perdem o interesse pelo assunto; outras, ao contrário, ficam mais interessadas do que nunca.

10 semanas

Sua barriga começa a aparecer mais. É uma boa época para começar a fotografar o crescimento dela, mês a mês. Os enjôos atingem o ápice, mas, felizmente para a maioria das mulheres, logo começam a diminuir. Nesta semana, o embrião é promovido oficialmente a feto, palavra que significa produção, prole.

11 semanas

Os enjôos melhoram, mas alguns cheiros ainda podem deixá-la mareada. Tem gente que enjoa com o cheiro do marido! No plano emocional, pode ficar mais introspectiva, pensando na grande transformação pela qual passa a vida. Escreva seus sonhos, anote pensamentos, filmes e frases que a deixam emocionada…

12 semanas

Se ainda não avisou a família e os amigos, é a hora. Se trabalha, converse também com seu chefe. Assim como o bebê leva tempo a se formar, é preciso preparar a sua saída do emprego. Informe-se se sua empresa adota a licença de seis meses; ainda não é lei, mas algumas (poucas, é verdade) já aderiram.

13 semanas

Comemore! A partir de agora, o risco de perder o bebê é mínimo. Se ainda não se sente cansada, preste atenção aos sinais do seu corpo e descanse, descanse, descanse. Converse com o médico e comece um exercício de baixo impacto, tipo hidroginástica.

14 semanas

Nesta época podem começar a aparecer os famosos desejos. Mais uma vez, siga o comando do seu corpo, mas ceda aos desejos saudáveis e segure a onda quando o assunto for doces. Você vai poder ouvir o batimento cardíaco do bebê por meio de uma aparelho chamado sonar.

15 semanas

Já não era sem tempo. A barriga aparece mais e você começa a parecer uma grávida. Já dá para vestir a primeira bata e desfilar o barrigão por aí sem que pensem que você está gorda demais. Agora é uma boa época para escolher os móveis do quarto do bebê, já que algumas lojas demoram até 60 dias para entregar. É, é tudo demoraaaaaado…

16 semanas

Os altos e baixos continuam, faz parte total, mas agora você começa a curtir mais, compartilhando a notícia e trocando informações com outras futuras mães e mães já experientes. Começa a se sentir sócia de um novo clube. Para quem quer saber, esta é a hora: por meio do ultra-som, já é possível detectar se é menino ou menina!

17 semanas

Para quem já teve filho, dá para começar a sentir os primeiros movimentos do bebê: é como se fosse uma borboleta batendo as asas dentro da barriga da gente. O bebê já começa a escutar, é hora de bater papo com a barriga e de comprar CDs bacanas. Música clássica é um hit entre os fetos.

18 semanas

Sua energia volta ao normal. O estrogênio extra aumenta o fluxo de sangue para a pelve. Para algumas mulheres, isso torna a relação sexual mais prazerosa. Outras ficam tão sensíveis que um toque mais brusco pode irritar. Vá devagar e sempre, sempre…

19 semanas

A aceleração do metabolismo tem seu lado bom: sua pele brilha, os cabelos e as unhas estão mais fortes e crescem mais rapidamente. É aquela fase em que a gente fica linda, linda, linda. Aproveite beeem.

20 semanas

A gravidez já está na metade, e você vai começar a se vestir como grávida. Aproveite: grávida também é mulher e mulher bonita, por favor, hein? Nesta fase, o bebê já tem um ciclo de sono e vigília, quer dizer, você já vai saber se ele é do tipo mais agitado ou mais calmo à noite. Além de comprar roupas para você, é uma época bacana para escolher as primeiras roupinhas do bebê. Tire uma foto da primeirona mesmo!

21 semanas

Tem uma máxima do feng shui que a gente adora: para abrir espaço para o novo, temos de dispensar o velho. Jogue fora o que não presta, doe o que pode servir para alguém e abra espaço para seu bebê. Pelo ultra-som já dá para ver a criança sugando o polegar e brincando com o cordão. Eles brincam já na barriga, é demais.

22 semanas

Em algumas mulheres, os seios podem começar a vazar colostro, o primeiro alimento do bebê, que surge antes do leite. Se não for o seu caso, não encane. Agora é hora de preparar os seios: fique alguns períodos sem sutiã, o roçar da pele contra a roupa já vai fortalecendo o bico.

23 semanas

Agora que mais da metade da gravidez já passou, você pode se sentir um pouco impaciente às vezes: será que não termina nunca? Aproveite para curtir as últimas semanas sem filho: passeie mesmo, vá ao cinema, jante com as amigas. Nos primeiros meses com o bebê, vai ficar mais difícil.

24 semanas

O feto já ouve direitinho: pode escutar a voz da mãe, seu coração, os ruídos do estômago. Hora de pôr seus CDs preferidos e viajar. A partir de agora, ele já tem condições de sobreviver fora do útero, desde que cercado de cuidados médicos. Claro que a gente torce para que ele ainda fique por aí muito tempo, mas dá um alívio saber, isso dá.

25 semanas

Depois de tanto sono dá para acreditar que você acorda às 2h e não dorme mais, só pensando no bebê e na sua nova vida? Além disso, o coquetel de hormônios no sangue a deixa distraída e com dificuldade de concentração. Xi, esqueci o celular de novo…

26 semanas

Agora o bebê reage a toques e sons e pode até “dançar” ao ritmo de uma música, Se o pai ou alguém querido quiser encostar o ouvido na barriga, pode ouvir o coração do bebê batendo. A barriga parece um ímã e todo mundo quer passar a mão. Se não se sentir à vontade, não deixe e pronto. A barriga é sua e não está aberta a visitação.

27 semanas

Chá de bebê é meio mico, sim, mas é gostoso. Dá para reunir todas as amigas e, se você não fizer questão de ser 100% tradicional, chamar os amigos também, que não tem o menor problema. Não deixe muito pro final, a gente nunca sabe se o sujeito que está lá dentro não é apressadinho…

28 semanas

Você pode se pegar pensando se quer mesmo voltar ao trabalho depois da licença. A gravidez faz com que a gente reveja a vida profissional. É um bom momento para avaliar as opções, com tanta mudança rolando… Pense no que é (dentro do possível, óbvio) melhor para você. Se pensa em ter uma babá, é hora de começar a procurar.

29 semanas

Parece que todo mundo tem algum conselho pra dar sobre gravidez, fala sério… E as desgraças que contam sobre parto? Ninguém merece. O segredo é aquele básico mesmo: entra por um ouvido, sai pelo outro.

30 semanas

Está chegando! No final desta semana, você completa sete meses de gestação. Se ainda não fez, vá atrás de um desses cursos para pais. Sempre tem alguma informação útil e, no mínimo, você e o pai se sentem mais preparados. O bacana é os dois fazerem juntos.

31 semanas

Você anda com a cabeça nas nuvens, normal, não encane. Seu cérebro tem noção de prioridade, pode acreditar, e nada é mais importante do que se preparar para receber seu filho, não é não? Agora é a fase dos chutes, e é cada chute forte mesmo!

32 semanas

Se ainda falta completar alguma coisa na sua lista interminável de compras, é pra já. No finalzinho mesmo, não dá para sair batendo perna em loja. Às vezes, dá uma vontade de fugir e fingir que não é com você, pode confessar, na boa. A responsa que vem com a maternidade – e a paternidade – assustam.

33 semanas

Você pode ser acometida de um desejo de arrumar tudo. Tem grávida que se pega limpando o chão, de barrigão e tudo. É um instinto de arrumar a casa e preparar o ninho para o bebê que chega.

34 semanas

Já no final, a gente não agüenta mais ouvir as pessoas perguntando para quando é o bebê, afe. O útero se contrai por alguns segundos e, depois, volta ao normal; são contrações de preparação, como um ensaio geral para o dia do parto mesmo.

35 semanas

A gente sonha muito nesta fase, e os sonhos parecem reais, o que, às vezes, dá uns sustos. Alguns especialistas dizem que essa é uma maneira de a sua cabeça se preparar para a revolução que vem por aí. Vem? Nada, já começou faz tempo.

36 semanas

Grávida é uma contradição ambulante. Ao mesmo tempo em que a gente sonha em segurar logo o bebê nos braços, já sente saudade do barrigão. Curta, curta muito, é uma delícia. E, mesmo que pareça demorar, quando a gente viu, já acabou.

37 semanas

Deixe de dirigir, é mais seguro para você e o bebê. Se a criança ainda está lá dentro, bem feliz da vida, é hora de você dar uma parada. Programe o início da sua licença para esta época e fique na sua, bem calminha, só terminando de preparar essa pessoa.

38 semanas

Nesta etapa, você se sente enorme e cansada. Às vezes, dá um pouco de impaciência mesmo, normal. Peça colo pro maridão, pra mãe, amiga, quem for. Nesse momento, nada melhor do que não fazer nada, só deitar e descansar (rolar vai ficar difícil).

39 semanas

Agora vai, falta pouco. Seus quilos estacionam, ufa! A criança fica mais quietinha, porque já está lá encaixadona, se preparando pra ver como são as coisas aqui do lado de fora. Que seja bem-vinda!

40 semanas

Se seu bebê ainda não nasceu, você é uma exceção: apenas 5% dos bebês nascem exatamente na data prevista para o parto. Você pode sentir um pouco de medo com a aproximação do grande dia. Fique tranqüila e confie no seu corpo. Na hora, ele vai saber o que fazer. E você também, pode acreditar, é isso mesmo. Parabéns.

Pais&Filhos TV