Gravidez

Uma doença (quase) sem tratamento

O uso inadequado de antibióticos pode fortalecer a bactéria que causa gonorreia

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

O uso inadequado de antibióticos pode transformar a gonorreia em uma doença sem tratamento

Por Marianna Perri, filha de Rita e José

Anúncio

FECHAR

O uso inadequado de antibióticos e uma resistência à penicilina podem ser alguns dos fatores que fizeram com que o Japão apresentasse o primeiro caso de resistência da gonorreia.

Se antes o tratamento da doença era simples, feito apenas com uma dose única de antibióticos, com a mutação da bactéria, os especialistas terão que descobrir novos medicamentos que tratem da doença.

Apesar da descoberta alarmante, pesquisadores suíços afirmam que ainda não sabem se a bactéria super-resistente se espalhou, ou se este foi apenas um caso isolado.

O que é?

A gonorréia é uma doença causada por uma bactéria, e é transmitida por via sexual. Os sintomas podem aparecer de 2 a 7 dias depois da contaminação e variam, de acordo com o sexo do infectado.

Os homens apresentam uma inflamação na uretra, com a saída de uma secreção amarelada, ardência na hora de urinar e coceira. Já nas mulheres, os sintomas não são tão visíveis e as conseqüências são ainda graves.

Nelas, não há secreção, apenas uma inflamação no colo do útero. Se a mulher não faz visitas periódicas ao médico, a bactéria pode inflamar e infeccionar as trompas, causando infertilidade.

Se não diagnosticada e tratada, a bactéria pode entrar na corrente sanguínea, causar dores nas articulações, meningite e até endocardite, uma inflamação no coração.

Grávida e doente

Sabemos que a gravidez é um período no qual as mulheres vivem no consultório médico. Mas, se a gonorréia não foi diagnosticada ou tratada durante a gestação, ela pode aumentar os riscos de parto prematuro, aborto espontâneo ou ruptura da bolsa.

Além disso, durante o parto natural, o bebê pode ser infectado pela bactéria. Nos pequenos, a doença causa conjuntivite bacteriana, com muita secreção nos olhos, que pode até cegar.

As grávidas podem fazer o tratamento com antibióticos, sempre seguindo as orientações médicas. Se a mulher é diagnosticada com a doença e faz o tratamento, as chances de passar a bactéria para o bebê são pequenas.

A melhor maneira de prevenir a gonorréia é usar preservativo nas relações sexuais e fazer visitar periódicas ao médico.

Consultoria: Cyro Laudanna Neto, pai de Raquel, Ana Júlia e Natália, é urologista do Hospital Santa Catarina.

Pais&Filhos TV