Gravidez

Bebê artilheiro

Você só vai começar a sentir os chutes por volta do quinto mês de gravidez. Depois, vai parecer que tem um time aí dentro

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Desde muito cedo o bebê já se mexe dentro da barriga. Os movimentos começam com 10 semanas (dois meses e meio de gravidez), quando ele tem apenas uns 3 cm e pesa só uns 4 gramas. Mas com o filho tão pequenininho, e cercado de grande quantidade de líquido amniótico, ninguém consegue sentir nada. “A gente sabe pelo exame de ultrassom. O bebê dá uns pulinhos, como se fosse o caminhar de um astronauta”, explica a obstetra Rita de Cássia Sanchez, mãe de Victoria, chefe da maternidade do Hospital Albert Einstein, especializada em medicina fetal.

Ao completar três meses de vida intrauterina, os movimentos começam a ficar mais sofisticados: o feto já abre e fecha as mãos, dobra e estica braços e pernas. Mas nessa fase ainda é impossível para a mãe sentir alguma coisa. “Mesmo quando estica toda a perna, ainda não bate na parede do útero”, diz a obstetra. Além disso, explica Rita, o útero ainda permanece cercado por outros órgãos internos e não está diretamente em contato com o abdômen.

Anúncio

FECHAR

É entre o quarto mês e meio e quinto mês de gravidez (20 a 22 semanas) que a gente começa a sentir os primeiros chutes. Agora, o bebê já está maior e mais forte; e o útero já encosta na parede abdominal. Com 22 semanas, o pai – ou quem mais puser a mão na barriga – também já consegue sentir os movimentos vindos lá de dentro.

Mas é claro que esse “sentir” não vem obrigatoriamente na mesma data para todas as mães.  “Depende muito de uma percepção individual. É comum, por exemplo, que na segunda gravidez as mães comecem a sentir os movimentos mais cedo, pois já passaram pela experiência. Algumas descrevem como se fosse um peixinho rodando na barriga, ou uma borboletinha”, diz Rita.

Também acontece de algumas grávidas demorarem umas semaninhas a mais para perceber o filho se mexendo. Segundo a obstetra do Einstein, se tudo estiver bem nos exames de ultrassonografia, não há motivos para se preocupar; basta ter um pouco mais de paciência. “Cada vez mais o bebê vai ganhando força. A partir de cinco meses e meio, a quantidade de líquido fica proporcionalmente menor e fica mais fácil sentir”, garante.

Chutes e soquinhos

Com o passar do tempo, essa sensação deliciosa de sentir o filho se mexer dentro da barriga pode também trazer incômodos. Com sete meses e meio, em geral o bebê vira de cabeça para baixo e acontece de chutar as costelas da mãe. Além das pernas, ele também movimenta os braços, então às vezes parece que ele “chuta” em toda parte.

Se ele ainda não se virou nessa fase da gestação, os chutes sobram para baixo e podem apertar bastante a bexiga. Com o bebê sentado, a cabeça para cima também pode comprimir o estômago e provocar azia.

Infelizmente não dá para evitar completamente esse tipo de incômodo. “Tem grávida que até acorda com os chutes”, diz Rita. Mas algumas medidas bem simples ajudam durante o aperto: se na hora de um chute incômodo você estiver sentada ou de alguma forma encolhida, é bom se levantar e alongar um pouco o corpo, porque assim você dá mais espaço ao bebê. A mãe também pode apalpar a região, fazendo uma espécie de massagem, porque o bebê também sente quando alguém mexe aqui do lado de fora, e isso ajuda que ele mude de posição, explica a obstetra.

“Mesmo quando dorme, ele se mexe, embora com menos vigor”, afirma a médica. Se, depois dos sete meses de gravidez, por acaso o bebê ficar mais de seis horas sem fazer movimentos perceptíveis, fique alerta – a falta de movimentos pode indicar que estão faltando nutrientes ou oxigênio para ele.

Nesses casos, a primeira medida é se alimentar (de preferência com carboidratos), tomar água e caminhar um pouco. Se ainda assim não sentir o bebê se mexendo, Rita recomenda procurar seu médico para checar se está tudo certo. “Não é para ficar se estressando com isso, contando movimentos de hora em hora, mas é legal sempre prestar atenção; pode evitar problemas maiores”, afirma Rita.

É isso aí: a infância nem começou e você já está aprendendo a lidar com seu filho cheio de energia e com as dores e delícias de ser mãe.

Cronologia do chute

• Entre 20 e 22 semanas você começa a sentir

• 22 semanas os outros começam a sentir

• 28 semanas não pode passar mais de 6 horas sem se mexer