Gravidez

6 alimentos para cortar do cardápio das grávidas

Pode parecer crendice popular ou conselho de avó zelosa, mas certos alimentos devem ser abolidos das refeições das gestantes durante os nove meses

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

6-alimentos-para-cortar-do-cardapio-das-gravidas

Toda grávida sente muita fome, isso é fato! Mas na hora que o estômago roncar, tem que ficar de olho nos rótulos e, principalmente, nos ingredientes de cada produto. “Para manter uma gravidez saudável, opte por um cardápio variado com ingredientes frescos e selecionados, sem esquecer das proteínas, carboidrato e vitaminas”, orienta Fabianne Sabbag Corrêa, ginecologista obstetra do Hospital Maternidade São Luís, filha de Victoria e Arlindo.

Para fazer uma refeição gostosa e saudável, selecionamos 6 alimentos que devem ser minimizados ou abolidos das refeições durante a gestação.

Anúncio

FECHAR

1 – Fuja do sal – Alimentos conservados no sal ou com altor teor de sódio devem ser abolidos do cardápio das gestantes. Além de causar inchaço ou retenção de líquidos, esses produtos agravam o quadro de hipertensão, nas mulheres que já têm tendência.

2 – Cuidado com o mar!  – É melhor abolir do cardápio peixes, lagostas, camarões, lulas e todos os outros frutos do mar. Isso porque o mau preparo desses alimentos pode causar infecções. Fora esse problema, alguns peixes de rio estão contaminados com altor teor de mercúrio. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o valor permitido é de 0,5mg/kg, para adultos com 60 kgs. A ingestão dessa substância química, em excesso, causa danos cerebrais, tremores, aborto espontâneo e problemas no desenvolvimento do feto.

3 – Doce na medida – Não tem problema em substituir o açúcar por adoçantes, mas antes de fazer a troca, a gestante deve ler atentamente o rótulo desse produto. Para a especialista, os adoçantes que estão liberados são sucralose e stévia. “O uso dos adoçantes de sacarina e aspartame provoca má formação fetal, pois eles são teratogênicos, uma substância que altera a célula fetal”, explica.

4 – Cafeína, não! – Toda grávida sabe (ou deveria), mas não custa nada enfatizar que produtos a base de cafeína (café, chás, refrigerantes a base de cola, energéticos) são altamente estimulantes, além de poderem provocar taquicardia no bebê. Não se engane: cafés descafeinados contêm 30% de cafeína.

5 – Ovo – Uma rica fonte de proteína. Esse alimento é ótimo e versátil para as mães que não consomem diariamente carne. Diferente dos outros alimentos, o ovo pode ser consumido com moderação. Mas com bastante atenção ao preparo, pois se não for preparado de forma correta pode causar infecção por salmonela.

6 – Carne crua – Se você gosta do churrasco pingando ou pelo menos vermelhinho, pode abrir mão durante 9 meses: as carnes mal passadas podem causar toxoplasmose, doença que traz riscos sérios ao bebê. Verduras e frutas também devem ser muito bem lavadas!