Criança

Pegando a estrada com as crianças

10 dicas para viajar de carro com crianças e bebês

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Recentemente, fiz uma longa viagem de carro com minha filha Manuela – cerca de seis horas de Curitiba (PR) para a capital paulista. Se você também tem crianças pequenas e precisa viajar longas distâncias, aqui vão algumas dicas que podem te ajudar. São sugestões bem simples, mas que no caso da Manu (hoje com quase 1 ano e meio) fizeram uma grande diferença. 

1. Tente fugir do calor

Se seu filho estiver resfriado ou com tosse, talvez você não possa ligar o ar condicionado do carro, e passar calor será muito chato e um incômodo para você e para as crianças. Então, procure programar a viagem para o mais cedo possível, para fugir de horários em que a temperatura esteja muito quente. 

Anúncio

FECHAR

2. Não se esqueça do travesseiro

A cadeirinha e o bebê-conforto geralmente não são tão confortáveis assim, por isso tente deixar seu filho o mais confortável possível para dormir – um travesseiro pequeno e apropriado para crianças ajuda bastante. 

3. Leve um ou dois brinquedos favoritos

Pode ser um bicho de pelúcia, uma boneca ou outro brinquedo que seu filho adora. Com esse artigo por perto, a criança vai ficar feliz e se sentir segura porque terá com ela algo que conhece e se identifica. 

4. Use a tecnologia como um coringa

Principalmente se seu filho estiver muito incomodado e cansado com a viagem, colocar um vídeo no smartphone ou no tablet ou então um DVD pode ser de grande ajuda. Podem ser vídeos animados com música, filmes (se seu filho já for maior e conseguir assistir) ou até jogos eletrônicos. 

5. Faça brincadeiras com toda a família

Passar horas no carro é cansativo não só para as crianças, mas também para os adultos. Então, fazer brincadeiras pode ser uma boa forma de passar o tempo. Com as crianças mais velhas, além de cantar, você pode fazer adivinhações. Eu adoro brincar de “Tibitá”. É assim: uma pessoa escolhe um verbo e as outras precisam descobrir qual é esse verbo, fazendo perguntas com o verbo “tibitar”. Por exemplo: “Você tibita todo dia?”, “Você está tibitando agora?”. A brincadeira continua até alguém descobrir qual é o verbo. 

6. Invente brincadeiras novas

Se você tem bebê, você sabe como qualquer coisa muito simples pode ser algo muito divertido para o seu baby, principalmente se for algo concreto, ou seja, real, e não um brinquedo. Nesta viagem recente, inventamos de colocar uvas dentro de uma garrafinha pet, rendeu boas risadas. 

7. Não se esqueça de água e comidinhas

Além de água e suco, você pode levar frutas (lavadas, cortadas e em potinhos), pão ou outro alimento que seu filho goste e o distrai ao mesmo tempo. A Manu adora comer aquelas uvas doces sem caroço, e isso já leva um bom tempo pra ela fazer e se distrair. 

8. Leve documentos e remédios

Lembre-se de sempre andar com os documentos da criança em dia, como a carteirinha do convênio, além de levar os remédios e suas receitas. Se seu bebê ainda não tem identidade, você vai precisar levar a certidão de nascimento. Fique ligado: caso você resolva voltar da viagem de avião, se não tiver a certidão de nascimento do bebê, você não poderá embarcar. 

9. Faça paradas estratégicas

Aproveite as paradas para “esticar as pernas”, trocar a fralda do bebê ou, se ele já andar, para ele também caminhar. Se seu filho já souber ir ao banheiro, tente descobrir antecipadamente qual posto ou espaço de lazer no caminho da viagem é bom para isso (e mais limpo). A parada também é um bom momento de distração. A Manu adora cachorros e sempre tem alguém passeando com seu cão. 

10. Crie expectativas

Apesar de cansativa, tente fazer da longa viagem uma aventura que terá uma “atração” no final, como a criança matar a saudade dos avós ou, se for o caso, conhecer um lugar novo e divertido (quando o destino for praia ou campo nas férias, por exemplo). 

Mariana Branco é editora do blog Mamãe Prática. Com a chegada da Manuela, decidiu unir suas duas paixões (jornalismo e maternidade) e botar a mão na massa para criar seu próprio blog. Agora, para se tornar uma mamãe prática, divide com os leitores os erros e acertos da maternidade.