Família

Como adotar um cachorro

Toda a família deve participar dessa decisão, que pode trazer alegrias ou estresse

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Há perguntas importantes que você e sua família devem se fazer antes de adotar um cachorro. É preciso considerar que o tempo médio de vida do bichinho é de 12 anos. Todos devem concordar em assumir essa responsabilidade e, principalmente, se existe espaço no orçamento doméstico para mantê-lo. Pense que a qualquer momento pode surgir uma despesa extra com o veterinário, por exemplo.

“Comprar ou adotar um animal por impulso – como para agradar uma criança – é a maior causa de abandono de animais nas ruas das cidades”, alerta a veterinária Simone Zahari Pires, mãe de Ana Flavia. Este vídeo, Fulaninho, O Cão que Ninguém Queria, feito especialmente para os pequenos, pode ajudar os pais nessa tarefa de reflexão em família. A médica, responsável pela Coordenadoria Especial de Proteção aos Animais Domésticos da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, estima que nas férias escolares cresce em 20% o número de animais largados na rua. “As famílias precisam viajar e só aí descobrem que não podem arcar com hotelzinho ou deixar o animal com alguém”, constata.

Anúncio

FECHAR

Por isso, é bom deixar claro quem cuidará dele nas férias, ou em feriados prolongados, e irá levá-lo para passear quase que diariamente, principalmente se a família mora em apartamento. Seu cãozinho tem de ser fonte de alegria para a casa. Não motivo constante de discussões e empurra-empurra. E pense também em um porte adequado para sua casa.

Para escolher seu novo amigo, procure abrigos públicos ou privados de confiança, troque informações com que já adotou. Hoje, com as redes sociais, isso é muito mais fácil. Nos CCZ (Centros de Controle de Zoonoses) da prefeitura de sua cidade geralmente há programa de adoção. Nesses locais, o correto é o interessado passar por uma entrevista para que seja verificado se apresenta condições de abrigar o animal, aliás a entrevista e até a vistoria na residência, também é prática comum entre as ONGs sérias que se dedicam à adoção.

Feito isso, o novo dono assina um termo de posse responsável, comprometendo-se a cuidar corretamente do animal e não abandoná-lo nas ruas. Alguns dos compromissos presentes nesse documento são:

– dar alimentação adequada de acordo com a espécie e idade, assim como medicamentos veterinários, quando necessário;

– dar abrigo adequado, local limpo e seco, com espaço suficiente para brincar, dormir e defecar;

– procurar um veterinário regularmente para vacinas anuais, vermifugação ou em caso de doença, visando assegurar a saúde do adotado;

– vermifugar a cada 6 meses ou conforme indicação do veterinário; não manter o animal preso a uma corrente por mais de 4 horas diárias;

– nunca e em nenhuma circunstância abandoná-lo na rua ou entregá-lo a um desconhecido; não deixá-lo exposto ao sol excessivo, frio ou chuva, entre outros.

Nos orgãos públicos, também é necessário apresentar CPF, RG e comprovante de residência. E em alguns deles é cobrada uma taxa.

Para ter certeza de que é o momento certo para adotar um cãozinho, uma dica é responder o teste criado pela ARCA (Associação Humanitária de Proteção e Bem-Estar Animal), uma organização sem fins lucrativos, sem vínculos partidários ou religiosos, criada em 1993 com o objetivo de promover o bem-estar e o respeito aos direitos dos animais. Faça o seu teste para saber se este é o momento certo de adotar um animal. A resposta sai na hora!

LOCAIS DE ADOÇÃO EM: 

SÃO PAULO

Centro de Controle de Zoonoses – Possui cerca de 500 animais entre cães e gatos à espera de um lar. Todos são imunizados com vacina específica da espécie e antirrábica, castrados, microchipados, tratados contra pulga e carrapato e vermifugados.Os interessados, após entrevista de pré-adoção, precisam levar uma coleira, caixa de transporte, CPF, RG e comprovante de residência. É cobrada uma taxa de  R$ 16,20 e o Registro Geral do Animal (RGA) é emitido na hora. Rua Santa Eulália, 86, Santana, (11) 3397-8900. prefeitura.sp.gov.br/zoonoses

Solidariedade à Vida Animal – a cada 15 dias Uma vez por mês (normalmente no segundo sábado), das 12h às 16h, a ONG realiza feira para adoção de cães e gatos. É preciso passar por entrevista e preencher um termo de responsabilidade, apresentar RG, CPF e comprovante de residência, além de doar dois quilos de ração. Avenida Presidente Tancredo Neves, 580, Ipiranga, (11) 97204-5902. sava.org.br.

União Internacional Protetora dos Animais – A população de cães e gatos da entidade varia de 1200 a 1500 animais, distribuídos em 9 000 metros quadrados. Para adotar, o interessado deve ir ao local e responder a um questionário. Há cobrança de taxa de R$ 30. Avenida Presidente Castelo Branco, 3200, Canindé, (11) 3228-1462. uipasp.org.br

União SRD – A sigla significa Sem Raça Definida. Cães e gatos abandonados ficam em casas provisórias até que alguém descole para eles um lar definitivo. O interessado, após entrevista, deve preencher um termo de adoção e pagar taxa de R$ 50. A associação não tem endereço fixo pois os bichos ficam espalhados em residências de voluntários. uniaosrd.com.br

RIO DE JANEIRO 

GAPA – Fazem eventos de adoção a cada 15 dias em Itaipava. Ver calendário no site gapaitaipava.org.br

GRUPO DE AMIGOS DO JARDIM DE ALAH – Realiza feira de adoções regulares. Informações pelo e-mail acboisson@hotmail.com ou pelo telefone (21) 3228-1462.

SUIPA – Diariamente, de segunda a sábado, de 7h às 17h, e domingos e feriados, de 7h às 12h, é possível adotar um bichinho na sede da instituição em Benfica, Avenida Dom Helder Câmara, 1801. Outra opção é ir até o Focinho Carente, campanha permanente de adoção realizada pela SUIPA em frente à antiga TV Manchete, no Flamengo. Todos os sábados, de 9h às 15h. Telefone: (21) 3297-8777. site suipa.org.br

Campanha Adote Um Bichinho e Salve Uma Vida — Acontece todo primeiro domingo do mês, na Praça Afonso Pena, na Tijuca, e todos primeiro e terceiro sábados, na Praca General Osório, Ipanema. Informações: andrealambertvet@gmail.com ou pelos telefones: (21) 96328115 ou (21) 93166030.

GARRA – Grupo de Ação, Resgate e Reabilitação Animal — Faz campanhas de adoção, sempre em parceria com a ONG Sozed todo segundo sábado do mês, no Parque dos Patins, na Lagoa, das 11h às 17h. Informações pelo site www.garranimal.com.br ou por e-mail (adote@garranima.com.br) ou pelos telefones (21) 8652-6684 ou (21) 9258-8445.

PORTO ALEGRE

SEDA – Secretaria Especial dos Direitos Animais realiza feira de adoção todos os domingos no Brique da Redenção, das 11h às 15h. Os animais são vermifugados, vacinados e microchipados. Não há cobrança de taxa. Informações pelo telefone (51) 3289-8900
ne: (51) 3289.8900

SALVADOR

ABPA – Associação Brasileira Protetora dos Animais Bahia. No ato de adoção é assinado um Termo de Responsabilidade. Também são exigidos cópia de RG ou CPF,  comprovante de residência e pagamento de taxa de adoção de R$ 40. Calendário das  feiras de adoção no site abpabahia.org.br

Pais&Filhos TV