Família

Makeda significa grandiosa, mas os pais não puderam registrar a filha com esse nome

O pai fez uma petição para tentar conseguir a autorização da justiça

A REDAÇÃO PAIS&FILHOS

Makeda e família

Makeda nasceu no dia 16 de março, no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)

No dia 16 de março, nasceu Makeda Foluke, filha de Cizinho Afreeka e Jéssica Juliana de Paula. Mas, até hoje, os pais não conseguiram registrá-la e ela está sem certidão de nascimento. A tentativa foi feita no Cartório do 2º Distrito São João de Meriti, no Rio de Janeiro, que teria se recusado a emitir o documento com o nome de origem africana escolhido pelos pais.

O pai de Makeda disse que precisou fazer uma petição justificando a escolha para tentar conseguir a autorização do registro pela justiça. Ele também divulgou o texto no Facebook. “Sonho com um dia que volte a ser normal e natural a um homem preto, a uma mulher negra dar aos filhos nomes que sejam próprios e apropriados, que não seja necessário passar pelo que estou passando, uma situação que afeta a saúde”, escreveu em um trecho.

Leia também

Anúncio

FECHAR

Você sabe qual é o nome mais popular mundialmente?

O dilema do nome

Os nomes mais comuns no Brasil

Cizinho nos contou que a alegação do cartório é que esse é o procedimento adotado para nomes que possam futuramente causar vexame para a criança. Nas redes sociais, internautas não concordaram com a medida do cartório e estão dando apoio ao casal.

Makeda é um nome de uma rainha africana etíope, mais conhecida como rainha de Sabá, e significa grandiosa. Foluke é yoruba, que significa “colocada aos cuidados de Deus”.

De acordo com ele, o tabelião (funcionário administrativo) não comparece ao local de trabalho desde sexta-feira. Hoje, o pai ligou no cartório e foi informado que novamente o tabelião não estava presente, assim como a tabeliã substituta.  Por isso, a petição ainda não foi encaminhada à juíza e, por enquanto, o caso permanece sem resolução.

Se mesmo depois de receber o documento a justiça não liberar o registro, os pais vão recorrer da decisão. “Não tem jeito de ela ser chamada por outro nome, todo mundo já chama assim bem antes de nascer”, afirma Cizinho.

Entramos em contato com o Cartório do 2º Distrito São João de Meriti e um funcionário informou que o oficial do cartório, que é o único que poderia falar com a imprensa, precisou viajar e retorna amanhã. Não há ninguém que possa confirmar o ocorrido.