Especiais

Mãe de gêmeos dá cinco motivos para o segundo ano ser melhor que o primeiro

O começo é difícil, mas, com o tempo, tudo fica bem

selo_seminario_oficial
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Depois que o bebê completa 1 ano tudo a vida como mãe costuma melhorar (Foto: Shutterstock)

Depois que o bebê completa 1 ano tudo a vida como mãe costuma melhorar (Foto: Shutterstock)

A rotina com recém-nascidos é incrível para algumas mães, mas com Alesandra Dubin, colunista da revista norte – americana “Parents”, não foi bem assim. Ela contou em depoimento à revista que, como mãe de gêmeos, passou o primeiro ano dos filhos cansada e confusa.

Leia mais:

Vem aí o Seminário Internacional Mãe Também é Gente

Anúncio

FECHAR

Veja a programação do Seminário Internacional Mãe Também é Gente

Tudo ao mesmo tempo vezes dois! Dicas para os cuidados com gêmeos

Agora as crianças passaram dos 20 meses e ela afirma ser uma mãe experiente. O segundo ano para Alesandra tem sido mais confortável, divertido, alegre e ela contou o porquê. Veja, a seguir.

1 – Os hormônios estão estabilizados

Sem perceber, eu passei muito tempo do primeiro ano das crianças como uma mãe em transe. A bagunça dos hormônios foi intensa e eu chorava o tempo todo. Além do humor, os hormônios também mexeram com meus cabelos. A perda de cabelo no puerpério é normal, mas pouco falada e isso me assustou. Os efeitos desestabilizadores das alterações hormonais não foram brincadeira, e eu estou muito feliz que acabou.

2 – Finalmente, é possível descansar

Todo mundo já sabe que pais de bebês recém-nascidos dormem pouco, mas eu, como mãe de dois bebês dormia ainda menos. Foi difícil. Foi um golpe doloroso. Parecia que não ia acabar nunca. Mas agora meus bebês dormem durante a noite e eu estou conhecendo um mundo totalmente novo. Tudo é possível quando você está descansada e pronta para conquistar o dia!

Deixe de lado a culpa de ser uma mãe de segunda (ou terceira) viagem

Prazer sem culpa: 8 coisas que as mães devem fazer para relaxar

3 – É mais divertido

Quando os gêmeos eram recém-nascidos, eu e meu marido nos sentimos em uma fábrica: nos movendo o mais rápido possível nas trocas de fraldas, papinhas, arrotos e coisas do tipo. Hoje em dia, é muito mais divertido. Rimos das palavras engraçadas que nossos filhos balbuciam, das danças divertidas e das risadas quase intermináveis que eu gostaria de guardar em um potinho para poder ouvir para sempre. Vale a pena aproveitar muito esta fase alegre, divertida e interativa.

 4 – As crianças sabem retribuir o amor

Durante os primeiros meses os bebês até dão alguns sorrisinhos, mas nada se compara com as doces expressões de amor que recebemos hoje em dia. Eles nos mandam beijos, agarram nossas pernas para nos puxar para perto e chamam por nós quando não estamos no campo de visão deles. Agora parece que estamos unidos por um amor poderoso.

5 – A identidade como mãe é completa

Eu tive meus bebês em uma idade considerada avançada e isso significava que eu tive bastante tempo para me acostumar com a minha confortável vida adulta sem filhos.  Então, quando eles chegaram, trouxeram grandes mudanças. Não foi apenas dizer “não” aos convites de viagens de última hora, mas aprender a me entender no papel de mãe. Depois de um ano, eu soube como fazer isso confortavelmente. Foi um alívio e uma alegria!

Depressão pós-parto: entenda por que a culpa não é sua

Por que as mães costumam sentir tanta culpa?