Especiais

Crianças são temperamentais! Te mostramos por quê

Um minuto é suficiente para as gargalhadas tornarem-se lágrimas

Logo-Parents (1)
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

selocriançatemperamental

As crianças podem mudar o temperamento em instantes (Foto: Shutterstock)

Existem poucas coisas que são certas na vida, mas uma coisa que podemos afirmar é que as crianças são temperamentais! A maioria dessas mudanças de comportamento são, simplesmente, uma etapa natural do crescimento e é importante não confundi-las como um mau comportamento, afirma Paula Levine, psiquiatra.

Para você, entretanto, a maior parte das nuances emocionais (e perfeitamente normais) dos seus filhos são frustrantes, para não mencionar o fato de serem bem barulhentas. Entender o porquê das nuances e aprender as melhores maneiras de se adaptar as suas constantes mudanças são ações que podem colaborar para diminuir os níveis de estresse e ajudar a equilibrar as emoções.

Birra: 14 dicas para você não chorar com o seu filho

Anúncio

FECHAR

Razões 

1. Eles não conseguem comunicar suas vontades e necessidades como gostariam

Para crianças entre um e três anos, o mundo é enorme, fascinante e em constante mudança. Parece ótimo, mas quando você pensa que elas dominam um vocabulário de 20 palavras, pode entender o quão frustrante a vida delas pode ser.

O Eric, de dois anos, adorava colorir usando o giz de cera. Mas como escolher entre tanta variedade de cores, se não sabia dizer “vermelho”, “amarelo” ou “azul”? A mãe, Lisa McGonagle, conta que, no meio da atividade, ele se revoltava. Mas isso mudou, conforme o menino aprendia as cores. “Descobrimos que ele apenas não encontrava o giz azul ou vermelho quando queria.”

O que fazer

Às vezes, você não conseguirá definir os desejos do seu filho. Quando isso acontecer, tente manter a calma e compreender que a culpa não é sua,” diz a Dra. Levine. Assim, mostre os itens que ele pode estar querendo e diga os seus respectivos nomes de forma alta e clara. Isso ajudará a expandir o vocabulário dele

2. Eles não têm noção de tempo

Seu filho pode saber quando está com sede e conseguirá até te informar sobre isso. Mas quando aquela jarra de suco não surge na frente dele um nanosegundo depois, assista: a sossegada tarde se transformará em tempestade.

O que fazer

Não ter noção do tempo significa que os filhos podem ser distraídos com muita facilidade. Use isso como estratégia. O desespero da procura com uma bebida pode ser transformado na alegria de uma pia cheia de bolhas de sabão. Por isso, seja criativo para distrair e justificar uma mudança de atividade.

3. Eles têm dificuldade em controlar as emoções

Crianças pequenas têm pouca prática de controle de seus temperamentos. Isso ajuda para que sejam tomados por sentimentos muito fortes e intensos. Veja o exemplo de Danni, de dois anos e meio de idade, que comprova a teoria. “Outra noite, ela estava brincando na banheira. Então, falei que era hora de sair,” comenta a mãe, Lana. “Não foram só seus berros de gelar o sangue, mas ela conseguiu molhar o banheiro inteiro.”

O que fazer

Calmamente, diga aos seus filhos que, enquanto eles podem estar na banheira ou no parquinho pelo tempo que quiserem, há ainda outras atividades que eles podem fazer. Para ajuda-la a entender, você pode dizer, “Eu sei que você está se divertindo na banheira agora e que não quer sair. Isso te deixará bravo”

4. Eles ficam cansados e famintos muito rápido

Algumas crianças ficam com fome dentro de três ou quatro horas após acordarem pela manhã. E diferente de outras crianças mais velhas, elas não se satisfazem totalmente nas refeições, tendendo a beliscar comida o dia todo. Você na ficará surpresa de aprender que crianças famintas são mais temperamentais e chorosas.

O que fazer

Primeiro, planeje o seu dia em torno da soneca. A maioria dos pais entendem que esses momento é de extrema importância. Em segundo lugar, sempre tenha lanchinhos saudáveis na mão.

 

Saiba lidar com a birra

Muitas vezes, não importa quantas vezes você tente distrair, entreter ou alegrar o seu filho para melhorar o temperamento, as coisas desandam rapidamente. Isso não quer dizer que você é uma mãe/um pai incompetente – ou que você tenha um filho incorrigível. Isso tudo é muito normal.

O que fazer?

– Não discuta com a criança e tente controlar a situação;

– Coloque sua criança num lugar seguro e caminhe por um minuto. Isso vai ajudá-lo a se acalmar;

– Quando as coisas estiverem melhores, pegue-o e siga o seu dia.

Depois de algumas tentativas e erros, seu filho aprenderá que fazer birra não vai leva-lo a conseguir o que ele quer.

O tema “Criança Rei X Birra: qual o caminho do meio” será abordado pela Melinda Blau, escritora norte-americana, no nosso Seminário Internacional “Mãe também é gente”, que ocorrerá dia 15 de maio no WTC (World Trade Center São Paulo), na zona sul de São Paulo. Inscreva-se aqui.

rodapé_atual_abril