Especiais

7 coisas que sentimos após a gravidez e que ninguém nos conta antes

Você vai passar por uma montanha-russa emocional nesse período

selo_seminario_oficial
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

São sentimentos normais; Não há motivo para sentir culpa (Foto: Shutterstock)

São sentimentos normais; Não há motivo para sentir culpa (Foto: Shutterstock)

Todo mundo comenta sobre o que esperar durante a gravidez, mas poucas pessoas te avisam sobre a montanha russa emocional pela qual você vai passar, inevitavelmente, depois do parto. O site da Revista norte-americana “Parents” listou algumas situações que você pode passar nesse período – e que são completamente normais.

1. Tristeza

Após o parto, seus olhos podem parecer duas torneiras que não param de pingar! Isso significa que você está triste por ser mãe? Claro que não! É normal chorar por coisas pequenas, como não saber trocar a fralda muito bem – ou quando você descobre que o Netflix tirou do ar a sua série preferida antes que você pudesse ver os últimos episódios.

Anúncio

FECHAR

Susan Feingold, uma psicóloga clínica e professora adjunta na Illinois School of Professional Psychology, diz que sentir picos de tristeza, choro e supersensibilidade emocional não é incomum. Isso é uma parte normal do baby blues, um estado temporário de alterações de humor.

“Baby blues não deve ser confundido com distúrbios de ansiedade”, alerta a psicóloga, que é também autora de “Happy Endings, New Beginnings: Navigating Postpartum Disorders”. Sintomas de ansiedade severa combinados com perda de motivação, distúrbios do sono, pensamentos perturbadores, sentimentos de desesperança e pensamentos de suicídio devem ser analisados imediatamente.

2. Medo

Você vai ver que ser mãe traz consigo um monte de medos, mesmo se você não fizesse o tipo “preocupada” antes disso. Desde os menores medos até os mais complexos, o sentimento de medo pode ser esmagador para as mães que estão entrando na maternidade.

Você não está sozinha nessa, como pode atestar a nova mãe Francesca Chiarappa de Montreal, Quebec. “Eu tinha medo de estar sozinha com ela”, ela conta sobre como se sentia após o nascimento da filha. “Será que vou saber o que fazer com ela? O quanto eu devo dar de comida? Como acalmar ela?”, ela diz. Ter medo de que você não vai fazer o certo para o seu filho porque você não sabe tanta coisa não é um sentimento novo. É apenas novo para você. Definitivamente, você não é a primeira mãe a batalhar com os sentimentos – até os irracionais – e você não será a última.

Leia também

Você sabia? As marcas da gravidez têm tratamento!

Conheça 7 dicas de planejamento para um pós-parto mais calmo

Depressão deve ser avaliada antes e depois do parto, dizem especialistas

3. Felicidade

Você sabe que o seu bebê vai trazer felicidade para a sua vida, mas você não tem ideia de como você vai ser feliz até seu bebê nascer. As suas emoções positivas ficarão exageradas assim como as negativas. É quase inacreditável que alguém tão pequeno, que não faz muito, pode te trazer tanta felicidade a ponto de te fazer chorar.

Um bocejo, uma tosse – essas pequenas coisas normais podem ser o gatilho para alguns dos momentos mais felizes da sua vida. Desde derramar lágrimas de alegria até rir incontrolavelmente sobre algo ridículo.

4. Raiva

Talvez ninguém admita, mas é completamente normal ter sentimentos de raiva nos dias seguintes do parto. Pode ser raiva de si mesma por não saber a primeira coisa sobre amamentação ou estar brava com o mundo porque seu filho não para de chorar. A doutora Feingold explica que isso não é incomum, especialmente mulheres que têm altas expectativas ou têm tendências ao perfeccionismo. De qualquer modo, ela alerta sobre a gravidade disso. “Raiva significante ou irritabilidade pode ser um sintoma preocupante de distúrbios do pós-parto”, ela diz.

5. Tremores

Você pode se ver no limite nas semanas após o parto. Você pode se assustar facilmente, estar muito tensa ou mesmo muito ansiosa. Isso pode ser estranho para quem nunca se sentiu assim antes na vida. Pode ter certeza que isso não é difícil de acontecer. Você não está dormindo, está se preocupando o tempo todo – ah sim, e você acabou de ter um bebê!

Durante as duas primeiras semanas do nascimento dos seus filhos, Nadia D’Addona, mãe de dois, de Montreal, sentiu como se estivesse tendo ataques de ansiedade. “Das duas vezes, eu me senti extremamente perturbada”, ela diz. Mas assim que ela entendeu e se ajustou a nova vida, os sentimentos de ansiedade desapareceram.

Veja 28 dicas de cuidados durante a gravidez

Você sabia? Seu cérebro também muda durante a gravidez

O que ninguém te contou sobre o parto (e nós te contamos!)

6. Hipersensibilidade

Um sentimento muito normal após o parto é o de sensibilidade. Você pode se sentir profundamente afetada emocionalmente por tudo e todos. Assistir ao noticiário pode te levar às lágrimas, fazendo com que você se sinta muito triste por pessoas totalmente estranhas. Suas emoções estão por todos os lugares e o seu instinto de nutrir tudo pode vir a tona.

Você não tem, necessariamente, depressão pós-parto só porque você não consegue segurar as lágrimas. “Eu chorava sem parar por duas semanas, não por tristeza, mas por sentimentos bestas como porque meu marido não aspirou a casa ou porque meu bebê era tão fofo que eu não conseguia parar de abraçá-lo”, diz Zamonski.

“Eu só chorei e chorei e chorei por qualquer razão, literalmente”. De acordo com o American College of Obstetricians and Gynecologists, o blues puerperal vai melhorar em duas semanas, não mais que isso. Se durar mais, fale com seu médico.

7. Dúvida

Muitas mães não vão admitir, mas o sentimento de dúvida – como se questionar se você deveria ter tido um filho ou se você é realmente apta para esse trabalho – é normal. Nós temos a tendência de pensar que maternidade é um instinto e de que saberemos exatamente o que fazer quando os nossos bebês nascerem, mas esse não é o caso.

Quando a amamentação não estava indo tão fácil quanto ela planejou, a mãe de primeira viagem, Amanda Starnino, de Montreal, começou a sentir dúvida se a maternidade era para ela. “Eu pensei que essa era a única coisa que eu podia fazer para o meu bebê enquanto mãe e eu não conseguia fazer nem isso”, ela explica. Além de esses sentimentos serem normais, tente lembrar de não ser tão dura consigo mesma. As semanas após o parto são um processo de aprendizado para você e seu bebê. Não duvide de você enquanto mãe. Você pode fazer isso!

O tema “Culpa não!” será abordado pela psicóloga e pedagoga Betty Monteiro no nosso Seminário Internacional “Mãe também é gente”, que ocorrerá dia 15 de maio no WTC (World Trade Center São Paulo), na zona sul de São Paulo. Inscreva-se aqui.

rodapé novo correto

 

Traduzido do site da revista americana Parents.

7 mitos e verdades sobre o pós-parto

5 preocupações comuns na gravidez – e o que você precisa saber sobre elas

Afinal, são nove ou dez meses de gestação?