Especiais

Banho é bom, muito bom!

Será que é só colocar o bebê na água e passar o sabonete? Conheça os detalhes em que você precisa prestar atenção para deixar seu filho seguro no banho

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

detalhes-sobre-o-banho-do-bebe-unimed

Não esqueça que é também um momento de troca, de contato do bebê com a mãe e com o pai (Foto: Shutterstock)

Esse momento é quase um ritual para muitas famílias: enche a banheira, a água está fria, esquenta a água, agora está quente demais, separa toalha, separa sabonete, será que coloco alguma coisa na água para deixar mais cheiroso? E além disso existe a preocupação que passa pela nossa cabeça do começo ao fim do banho: não posso afogar meu filho! Esse risco é real, mas com alguns cuidados é fácil evitar.

“A primeira coisa em que prestar atenção é a temperatura da água, porque a pele do bebê é muito sensível, mais ou menos como a nossa pele do rosto, delicada e mais fina”, explica Lucia Diehl, filha de Odette e Belmonte, pediatra da Unimed Porto Alegre. A principal preocupação é a água quente demais, porque ela pode causar queimaduras muitas vezes graves. Existem vários termômetros feitos especialmente para medir a temperatura da água, mas você pode também colocar o antebraço (aquela parte mais macia do seu braço) dentro da água para testar.

Na hora de encher a banheira, existe um truque para “temperar a água”: encha até a metade com água fria e vá colocando água quente aos poucos, até ficar com temperatura ideal. Tente colocar água só até ter o suficiente para o bebê flutuar (ou até o nível da água chegar ao umbigo do bebê). No começo pode parecer complicado, mas com alguns dias você vai estar preparada para dar banho no seu filho a qualquer hora.

Anúncio

FECHAR

Leia também

6 maneiras de dar banho no bebê sem afogá-lo

Banho bom!

Medo de dar banho no bebê? uma nova almofada pode te ajudar

A pediatra explica que é muito importante segurar a cabeça do bebê durante todo o momento do banho, para evitar que ele se afogue, porque a cabeça ainda é muito pesada se comparada com o resto do corpo. “Também é possível usar uma redinha de proteção, que pode ser acoplada na banheira e evita que o bebê mergulhe por completo ou escorregue na água, além de ser muito relaxante”, conta a especialista.

Segurança na água

Cuidado na hora de lavar o bebê. A pele sensível precisa ser lavada com muita suavidade. “Nada de  esfregar, assim você evita a descamação da pele e não remove a oleosidade natural da pele do bebê”, diz Lucia Diehl. Normalmente, o bebê usa em média oito fraldas por dia, por isso não há necessidade de dar banho em todas as trocas de fraldas. A pediatra recomenda que, nas trocas, o bebê seja limpo com água e algodão. “Um ou dois banhos por dia é suficiente, mas isso também vai depender da necessidade do seu filho.”

Não esqueça que o banho é também um momento de troca, de contato do bebê com a mãe e com o pai. Aquele vínculo único que você cria com seu filho durante os nove meses de gestação e a amamentação deve ser reforçado durante esse momento do banho, principalmente na hora do carinho e da brincadeira.

Saiba mais sobre a higienização do bebê assistindo ao nosso vídeo do canal da Pais&Filhos do Youtube.