Criança

Vacina contra meningite para menores de 4 anos

Anvisa liberou a vacina contra meningite bacteriana para crianças de 1 a 4 anos

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou em junho uma nova indicação para a vacina quadrivalente contra a meningite bacteriana. Crianças com dois ou mais anos de idade já podem ser imunizadas simultaneamente com esta vacina contra quatro tipos causadores da doença: A, C, Y e W. Encontrada na rede privada, a dose custa R$144 em média. A nova medida deverá contribuir para a redução dos casos em crianças entre 1 e 4 anos de idade, faixa que registra um expressivo pico de ocorrências. Inicialmente, a vacina era restrita a adultos e adolescentes a partir de 11 anos de idade.

Saiba por que você deve vacinar sua filha (e filho!) contra o HPV

No sistema público, já era possível encontrar a vacina contra o tipo C de doença meningocócica, mais comum no Brasil. “Hoje existem muitos tipos, mas podem surgir outros. É um cenário difícil de predizer. Mas, se você pode vacinar não deve deixar de se defender. A meningite C é a mais comum, mas isso pode mudar, pode acontecer algo que facilite a transmissão dos outros tipos. Existe uma vigilância do Ministério da Saúde para que possamos tratar e prevenir da maneira correta”, explicou o Dr. Marcus Safadi, pai da Marília e do Pedro, médico infectologista e professor da Santa Casa.

Anúncio

FECHAR

Qualquer um pode pegar

A doença meningocócica é transmitida por um grupo de bactérias chamadas meningococos – daí o nome. A transmissão é basicamente por via respiratória: as bactérias estão no ar. Ao ter contato com elas, a pessoa pode desenvolver ou não a doença. Por isso, a vacina se faz tão importante, já que é a única forma de prevenção adequada.

Quando a pessoa desenvolve a doença o quadro pode ser bastante grave e chega a ser fatal em 10% dos casos em centros de excelência no mundo, podendo chegar a 40% no número de mortalidade em países com centros de saúde mais precários. E doença atinge qualquer pessoa – não há um quadro específico de vulnerabilidade.

Desta maneira, os parentes e amigos que conviveram com a pessoa doente, vivem com ela, devem ser medicadas com antibióticos para prevenir a doença.

De acordo com Safadi, mais de 90% das pessoas doentes têm um quadro saudável, o que sugere que qualquer pessoa pode pegar. Segundo números oficiais, em 2012, foram confirmados 5.513 casos de meningite bacteriana no Brasil, 34% dos casos de meningite registrados no ano.

Confira a carteirinha de vacinação completa

Sintomas parecem de virose

A doença meningocócica provoca uma inflamação na membrana que envolve o cérebro e a medula espinhal (meninge). Repentina e de rápida evolução, pode levar à morte entre 24 e 48 horas a partir do aparecimento dos primeiros sintomas:

Fraqueza

Febre

Dor de cabeça

Vômitos

Rigidez na nuca

Como os sintomas não são muito específicos, podem ser confundidos com os de outras doenças como as clássicas viroses, por exemplo. Na dúvida, leve seu filho para o hospital. Só o médico pode fazer o diagnóstico. “A criança fica internada e, na maioria das vezes, na UTI, tomando antibiótico. A mortalidade é de mais de 20%, e das crianças que sobrevivem, mais de 10% podem ter sequelas”, explicou o Dr. Marcus Safadi, pai da Marília e do Pedro, médico infectologista e professor da Santa Casa.

Sem contra-indicações, a vacina é encontrada em clínicas particulares. Somente os bebês (menos de 1 ano) e pessoas que apresentaram reação em outra dose anterior (o que é raríssimo) não devem tomar. É uma vacina que pode ser tomada a qualquer momento.

– A partir de junho de 2013, crianças de 2 anos ou mais  já podem se imunizar com a vacina meningocócica ACWY (conjugada CRM197) (internacionalmente conhecida como Menveo®, da Novartis)

– Aprovada no Brasil em 2011, esta vacina meningogócica conjugada protege contra os sorogrupos A, C, W-135 e Y da bactéria N. meningitidis.

 

Consultoria: Dr. Marcus Safadi, pai da Marília e do Pedro, médico infectologista e professor da Santa Casa.