Criança

Thor é autista e, aos 11 anos, escreveu e ilustrou um livro

Com a ajuda de sua mãe, o menino conta histórias

Carolina Piscina

Carolina Piscina ,filha de Ana Maria e Osvaldo

Este é o Thor, autor do livro O Bebê Dragão! (Foto: Shutterstock)

Este é o Thor, autor do livro O Bebê Dragão! (Foto: Arquivo pessoal)

Para contar a história da família que encontra um ovo de dragão, Thor, 11 anos, teve a ajuda de sua mãe, Claudia. Em parceria, os dois escreveram um livro cheio de espaços que desafiam o leitor a interagir com a obra, desenhando ou escrevendo, com o intuito de explorar a imaginação e liberar a emoção.

Conversamos com a Claudia Guenther, que é a mãe do Thor, fonoaudióloga. “A ideia surgiu com uma tarefa de escola. O Thor é bem falante e criativo, mas ele não consegue organizar esse pensamento, não consegue colocar no papel. Para realizar essa tarefa, ele me contava a história e eu digitava. A historia já estava pronta na cabeça dele, eu só coloquei no papel”, conta a mãe.

Thor foi diagnosticado com autismo quando tinha 2 anos e 4 meses, mas a mãe já tinha suas desconfianças quando o menino fez 1 ano e meio.

Anúncio

FECHAR

“Aos 2 anos, ele era uma criança de poucas palavras, isso foi um dos indícios para chegar ao diagnóstico. Chegar hoje em uma criança falante foi fruto de muito trabalho, com terapias, conversa da escola. Não foi fácil torná-lo falante”, explica Claudia.

capa_alta

Esta é a capa do livro, que está disponível no site da Livrarias Curitiba (Foto: Divulgação)

A publicação do livro teve enorme impacto na vida do menino. Ele sente mais autonomia e já escreve mais sem ter que pedir muita ajuda. Agora, o Thor percebe que ele dá conta sozinho!

É claro que receber um diagnóstico como esse não é fácil para os pais, mas a Claudia compartilha como lidou com isso: “A gente tinha duas opções diante do diagnóstico: ou a gente parava e se lamentava pro resto da vida ou então a gente entendia e aceitava que ela iria depender muito da gente e iríamos oferecer os melhores tratamentos”, afirma a mãe.

Ps: Não podemos deixar de contar para os nossos leitores que falamos com Thor ao telefone. Batemos um papo com ele e, para agradecer aos elogios que fizemos ao livro, ele nos respondeu com um “¡Muchas Gracias!”. Ele nos emocionou.