Criança

Temporada das “ites”

As temperaturas caem e elas parecem voltar de férias. Saiba como prevenir e tratar rinite, sinusite, conjuntivite e outros males que tem a cara do inverno

Carolina Porne

Carolina Porne ,Filha de Sandra e Rubens

shutterstock_616807664

Foto: Shutterstock

RINITE
Como é: trata-se de uma reação da mucosa nasal a diversos agentes, antígenos presentes no ambiente ao redor do paciente. “Sabe a doença do Atchim, dos Sete Anões? É a rinite. A criança esfrega muito o nariz e funga o tempo todo, principalmente durante a manhã”, diz Felipe Lora, pediatra do Hospital Infantil Sabará, pai de Gabriela e Marcelo.
Como prevenir: ambientes bem limpos, sem poeira, e deixar seu filho bem agasalhado são as duas maneiras mais fáceis de evitar a rinite.
Como tratar: é uma doença crônica, que a cada temporada sempre acaba voltando. “O tratamento é feito com uso de antialérgicos, anti-inflamatórios locais, que agem na região da mucosa nasal, e soro fisiológico”, explica Marlene de Castro, pediatra e alergologista do Instituto de Especialidades Médicas do Prontobaby, mãe de Hugo e Isabel.

 

BRONQUITE E BRONQUIOLITE
Como é: os brônquios, ramificações da traqueia pulmonar, ficam inflamados, causando muita tosse, secreção e dificuldade para respirar. A bronquiolite é a mesma coisa, mas acontece nos bronquíolos, que são ramificações ainda menores do pulmão e mais comum nos primeiros anos de vida da criança.
Como prevenir: tentar evitar ao máximo a exposição das crianças à fumaça, da poluição ao cigarro. Lavar as mãos com frequência também ajuda.
Como tratar: o tratamento da bronquite utiliza medicamentos broncodilatadores e anti-inflamatórios. Já a bronquiolite é mais sensível e exige tratamento no hospital. “A criança precisará inalar oxigênio, para ajudar na dilatação dos bronquíolos, além dos medicamentos”, explica Felipe Lora.

Anúncio

FECHAR

 

SINUSITE
Como é: os ossos do crânio têm poros, por onde o ar entra, deixando a caixa craniana mais leve. Caso se acumule secreção nesses pequenos poros, temos a sinusite. “Os sinais da sinusite são bem claros: aquela tosse que vem quando a gente deita para dormir, febre e secreção amarelada. E mais: não é necessário fazer raio-X dos seios da face para identificar a sinusite. Essa análise clínica dos sintomas é suficiente”, avisa o pediatra.
Como prevenir: manter a criança hidratada e fazer limpezas regulares do nariz com soro fisiológico ajudam a evitar esse mal.
Como tratar: o tratamento vai depender do agente causal da sinusite, vírus ou bactérias.

 

AMIDALITE x FARINGITE
A amidalite e a faringite são iguais, só mudaram de endereço. Como os nomes sugerem, uma atinge as amídalas e outra a região da faringe. A inflamação pode ter origem bacteriana ou viral, e descobrir essa origem é fundamental para ministrar a medicação. Os principais sintomas são dificuldade para engolir, dor na região da garganta e, muitas vezes, febre.

 

LARINGITE
Como é: sua avó já dizia “ele está com aquela tosse de cachorro”. Aquela tosse que arranha, que dá falta de ar, faz a criança acordar de noite. Como a laringe fica muito próxima das pregas vocais, outro sintoma comum é a rouquidão.
Como prevenir: também vem de antigamente a expressão “não pegar friagem”, e essa é a melhor forma de prevenir a laringite. Camadas de roupas e, de preferência, pescoço protegido.
Como tratar: a medicação receitada pelos médicos costuma incluir anti-inflamatórios, antibióticos e, se necessário, antialérgicos.

 

OTITE
Como é: a famosa dor de ouvido é uma inflamação na tuba auditiva, também conhecida como trompa de Eustáquio ou “aquela parte do ouvido que entope quando descemos da serra para a praia”, como exemplificou Felipe Lora. Além da dor de ouvido, costuma trazer febre e nariz entupido na bagagem.
Como prevenir: resista à tentação de limpar as orelhas do seu filho com hastes flexíveis para prevenir a otite. Pelo contrário: elas podem acabar empurrando os agentes causadores da otite para dentro da tuba auditiva.
Como tratar: como também pode ter origem bacteriana ou viral, o tratamento depende do agente causal da doença.

 

CONJUNTIVITE
Como é: uma inflamação na conjuntiva, a membrana dentro da pálpebra. A criança sente coceira e a sensação de que tem alguma coisa dentro do olho, como uma poeira. Também podem provocar secreções, que se acumulam ao redor dos olhos.
Como prevenir: evitar lugares fechados e/ou com muitas pessoas e higienizar bem as mãos sempre.
Como tratar: “o tratamento é feito em casa mesmo, com o uso de colírios antibióticos e limpeza da região dos olhos com soro fisiológico”, orienta a pediatra Marlene de Castro. Também é necessário evitar o contato com outras pessoas, já que a conjuntivite é mais facilmente transmissível do que as outras “ites”.

 

ASMA
Vamos pensar que o ar é levado para os pulmões através de pequenos canos. Agora, imagine que esses caninhos ficam cada vez mais estreitos, dificultando a entrada do ar e mais ainda a sua saída. Isso é a asma. Dessa diminuição na espessura vem o chiado na respiração, a tosse e o cansaço, pois o corpo não está recebendo a quantidade de ar necessária. O tratamento é feito com anti-inflamatórios inalados e sistêmicos,dependendo da gravidade do caso.

 

Leia também:

O pai é mais desencanado com a alimentação dos filhos, afirma estudo

Gravidez: entenda por que de repente você tem aversão a sua comida preferida

Obesidade pode dificultar gravidez; saiba por que

Pais&Filhos TV