Criança

Pesquisa revela o que as crianças querem aprender na escola

Quando nossos filhos vão para a escola, os conteúdos já estão prontos, mas as crianças também sabem dizer o que querem aprender

A REDAÇÃO PAIS&FILHOS

Sabem o que querem 1

Foto: Shutterstock

Uma pesquisa realizada pelo Centro de Referências em Educação Integral, iniciativa voltada para pesquisas e desenvolvimento apoiada pelo Ministério da Educação, mostrou que as crianças, desde o início da idade escolar, já sabem o que querem aprender nas escolas.

Obviamente, eles absorvem da sala de aula o que faz sentido para eles no dia a dia, seja na hora de cumprir tarefas diárias, como amarrar os sapatos ou escovar os dentes, seja na hora de brincar.

Marcelo Bueno, pai de Enrique, é educador e diretor pedagógico da Escola Estilo de Aprender. De acordo com sua experiência, o que falta para a escola é ser um lugar de questionamento e não apenas de respostas.

Anúncio

FECHAR

A escola precisa aprender a ouvir as crianças, deve abrir um canal de diálogo que se torne natural ao longo dos anos. Por isso, uma aula nunca pode ser igual à outra, mesmo que seja para crianças da mesma idade, na mesma série, só que em salas diferentes.

Leia também

Por que meu filho se comporta diferente na escola e em casa?

“A maior aula do mundo”: conheça o plano de aulas universal da ONU para crianças

Como preparar seu filho – e a família – para a mudança de escola no meio do ano

Isso é feito de quê?

A aula começa a acontecer de verdade quando os alunos participam da sua construção. E ouvi-los é muito importante para que os professores consigam casar os interesses dos alunos com o que a escola prevê como conteúdo apropriado. Marcelo Bueno nos dá uma luz: a criança aprende a importância da vida quando damos importância a ela.

Por isso, o aprendizado deve ser transformador, para que os alunos também transformem o meio onde vivem. Na pesquisa, foram entrevistadas crianças de todo o país, de idades variadas. O objetivo aqui não era ter um rigor científico, era ouvir as crianças e as suas expectativas em relação à sala de aula. Davi, de 8 anos, mora em Belo Horizonte.

Ele quer aprender como funciona um ímã, conteúdo que só vai ser ensinado alguns anos depois. Mas será mesmo que o professor não pode aproveitar esse desejo para explicar o que é atração e repulsão?

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Amanda, irmã de Davi com 5 anos de idade, quer saber como é a parte funda do mar. Que tal explicar para ela que o mar é mais profundo do que imaginamos e por isso nenhum ser humano nunca chegou ao fundo do mar?

Trabalhar com crianças também é lidar com o imprevisível, principalmente nessa fase de experimentação e descoberta. A escola é um lugar de controle: controle do espaço, controle do tempo, controle da experimentação. Por isso, as crianças querem aprender o que a escola não pode ensinar.

Yasmim, paulistana de 5 anos, quer aprender a fazer letra de mão, andar de skate e fazer crochê. Olha quanta curiosidade que pode render aulas de redação, educação física, artes, cultura pop, história… Tanta coisa que pode trazer significado ao aprendizado de Yasmim e transformar a obrigação de ir à escola em prazer de aprender.

Julio Cesar, de 10 anos, mora em Rondônia e quer aprender as matérias convencionais: português, matemática, informática e… filosofia! Também é importante que a escola ouça as crianças para não subestimá-las, para que a construção do conhecimento adquira cada vez mais sentido.

“Leitura Desde o Berço”: saiba porque essa inciativa é tão importante

Só quem experimenta, aprende de verdade!