Criança

Estamos valorizando menos as brincadeiras ao ar livre?

Um estudo sugere que pais de hoje em dia deixam as crianças brincarem menos

Logo-Parents (1)
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

brincar-ao-ar-livre

Sabemos que as brincadeiras beneficiam as crianças de inúmeras maneiras, estimulando a imaginação e promovendo desenvolvimento emocional e físico. No entanto, uma nova pesquisa da The Play Internacional Equipment Manufacturers Association mostrou que os pais de hoje estão dando menos importância para as brincadeiras ao ar livre. 

Foram analisados 1.000 pais dos Estados Unidos para entender as diferenças entre as gerações. Aqui estão algumas das principais conclusões da pesquisa:

Anúncio

FECHAR
  • Os pais da geração Boomer (nascidos entre 1945 e 1964) concordam que as crianças se beneficiam fisicamente (93%), socialmente (87%), emocionalmente (85%) e cognitivamente (80%) das brincadeiras ao ar livre.
  • Os pais Millenials (nascidos entre 1982 e 1993) valorizam menos esses benefícios. socialmente (75%), fisicamente (74%), cognitivamente (68%) e emocionalmente (65%).
  • Os filhos dos pais Millenias brincam dentre de casa quase o dobro da quantidade que os filhos dos pais da geração boomer. Em média 4,11 horas por dia, contra 2,47 horas.
  • Os pais millenials tem 73% por cento mais probabilidades de agendar o tempo de recreação dos seus filhos, em comparação com os boomers, 45%

O medo das crianças estarem em perigo fora de casa é uma das explicações dos pais para esses fatores. OS pais pesquisados também acham que o tédio e o tempo de recreação não programado não são produtivos.

Leia também:

6 brincadeiras para estimular o desenvolvimento das crianças

10 brincadeiras para as crianças fazerem no inverno

Brincadeira é coisa séria e afeta o desenvolvimento físico, lógico e criativo

Pais&Filhos TV