Criança

Doce vilão

O açúcar pode ser prejudicial para os pequenos

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

O açúcar é importante na dieta das crianças, mas também pode ser muito prejudicial

Por Marianna Perri, filha de Rita e José

Anúncio

FECHAR

Quem resiste a um doce depois das refeições? Ou a um pedaço de chocolate em um momento de estresse? São raras as pessoas que não se interessam por doces, mas, mesmo assim, elas devem prestar atenção nos hábitos diários de alimentação para fugir dos perigos que o consumo exagerado de açúcar pode causar.

O açúcar faz parte do grupo dos carboidratos, que deve representar cerca de 60% da alimentação diária, já que as proteínas e gorduras não fornecem energia. O açúcar é de absorção rápida, entrando na circulação sanguínea diretamente.

Mas não pense que este açúcar é apenas o refinado, que usamos para adoçar o café. Pães brancos, massas, arroz e batata têm o mesmo efeito de absorção rápida. As frutas também entram nesta categoria, mas são indicadas por conterem fibras, que retardam a absorção do açúcar pelo sangue.

Vício

Alguns cientistas acreditam que o consumo de açúcar pode gerar dependência, semelhante ao de substâncias químicas. Bart Hoebel, da Universidade de Princeton, comprovou que ratos tinham os três elementos que caracterizam a dependência: aumento do consumo ao longo do tempo, fortes reações quando para de consumir a substância e desejo e reincidência a longo prazo.

Apesar das descobertas, a endocrinologista Gláucia Carneiro, filha de Chysleine e José, afirma que o açúcar em si não vicia. “Mas o consumo de açúcar libera serotonina, o hormônio do prazer. E há pessoas viciadas neste hormônio, mas não em determinado doce”, comenta.

O açúcar, além de liberar o hormônio do prazer, também simula a insulina no pâncreas, depositando gordura abdominal e podendo causar diabetes, hipertensão e colesterol alto, seja em crianças ou adultos.

Também é importante

Mesmo com todos seus efeitos negativos, o açúcar deve fazer parte da dieta, já que retirar a substância totalmente da sua alimentação pode trazer conseqüências indesejadas.

A falta do açúcar pode fazer com que você sinta fadiga, cansaço, sensação de franqueza e, em casos extremos, depressão, já que a falta da substância pode alterar o funcionamento das células nervosas, e falta de memória.

O ideal é buscar um equilíbrio, limitando o consumo de açúcar, mas respeitando as necessidades do seu corpo. Evite abusos e consuma, preferencialmente, pela manhã.

Existem também alternativas mais saudáveis do que o açúcar refinado, como o light e o mascavo. Em último caso, você pode usar os adoçantes, que estimulam menos a produção de insulina.

Consultoria: Gláucia Carneiro, filha de Chysleine e José, endocrinologista membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia de São Paulo.

Pais&Filhos TV