Criança

Banco imobiliário na vida real

Seu filho acha mesmo que dinheiro nasce em árvore? Veja como fazer com que ele aprenda algumas noções simples de finanças

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

“Mãe, podemos ir à loja de R$1,99?”. Essa foi a pergunta que Tamekia Reece, jornalista da revista Parents teve de ouvir de seu filho Darren, de 6 anos. A pergunta que parecia comum, na verdade trouxe um grande aprendizado aos pais. Isso porque assim que a família chegou ao local que os pais imaginavam ser o destino pretendido pela criança, foram surpreendidos pelo olhar confuso do filho que não queria ir naquela tradicional loja em que você compra coisas por um pequeno valor. Para ele, a loja de R$ 1,99 era um banco.

E a confusão não deveria ter sido surpresa, já que muitas crianças acham mesmo que dinheiro é dado pelo banco. Por isso, é importante começar a mostrar para seu filho noções básicas de finanças.

Anúncio

FECHAR

Banco subsidiado

Dar dinheiro a seu filho é uma necessidade. “Se ele nunca tiver acesso ao dinheiro, nunca irá aprender a administrá-lo”, afirma Lori Mackey, fundador do site que ensina crianças a terem noções financeiras prosperity4kids.com. Determine a quantidade que será destinada à mesada (especialistas sugerem que seja R$ 1 por ano da criança, e esse valor deve ser dado a cada semana, por exemplo, uma criança de 5 anos receberia R$ 5 por semana). Depois, torne isso mais divertido brincando de banco. Quando chegar o dia da mesada, emita um cheque de brincadeira para seu filho, diga que ele terá de brincar de banco para sacar esse cheque.

Siga os mesmos passos que você faria caso fosse sacar seu pagamento em um banco de verdade, pergunte, por exemplo, se ele prefere sacar tudo de uma vez ou se prefere deixar uma quantia guardada para sacar no futuro. “Discuta as razões que poderiam fazer com que ele quisesse guardar parte desse dinheiro”, sugere Mackey. “Diga algo como ‘Eu sei que você quer aquelas canetinhas novas. Se você juntar o dinheiro desta semana com a próxima, você terá o suficiente para comprar o que quer ou precisa’”.

Procurando um emprego

Pergunte a uma criança de 5 anos de onde vem o dinheiro e ela provavelmente irá responder que vem do banco, dos pais ou até mesmo do presidente. Ela pode não entender que alguém da família faz com que esse dinheiro esteja no banco. Para ajuda-la, converse com ela sobre profissões e como as pessoas são pagas. Depois, faça um acordo para que ela tenha um emprego de brincadeira. Você pode contratá-la para fazer tarefas extra, para fazer limonada ou ela pode receber por se lembrar de separar o lixo orgânico do reciclável.

Pequeno consumidor

Transforme o quarto do seu filho ou o quintal da casa em uma loja. Coloque algumas etiquetas com preços em alguns itens, dê a ele dinheiro de brincadeira e finja que vocês foram às compras. Seu filho pode fazer uma lista do que quer comprar, tente trabalhar sempre com a quantidade de dinheiro que ele tem para que ele entenda que só poderá comprar os itens que couberem no orçamento. Depois, deixe que ele seja o caixa para que ela entenda como funciona o outro lado.

Poupança

O que uma criança faz com dinheiro? Gasta. “Uma boa forma de encorajá-lo a poupar é fazendo uma tabela reversa de juros”, explica Ken Damato, CEO do site de educação financeira familiar doughmain.com. “Diga ao seu filho que a cada real poupado, ele ganhará cinquenta centavos”, ensina Damato. Ele não terá problemas em guardar alguns reais e isso fará com que ele desenvolva o hábito de poupar algum dinheiro no futuro. “Crianças mais novas pensam no presente, não muito no futuro, então os pais têm de encorajar esse tipo de pensamento”, explica o especialista.

Cheque de realidade

Seu filho está tentando te convencer que precisa daquele novo brinquedo que seus amigos têm. Assim como ele precisa de uma bicicleta nova, de uma bola nova, da última boneca Barbie. Isso é recorrente entre as crianças. Para ajuda-las, dê a ela uma simples explicação sobre a diferença entre necessidade e vontade. “Você pode falar que uma necessidade é algo que ele precisa ter para sobreviver, como ar, comida ou água”, afirma Pearl. “Explique também que uma vontade é algo que ele gostaria de ter”. Para que isso fique ainda mais claro para as crianças, a família pode se reunir e juntar coisas que não precisam mais e doar para a caridade, essa é uma ótima forma de mostrar que você pode abrir mão daquilo que não precisa.

Para saber mais sobre educação financeira e mesada, assista ao episódio da série Repórter Pais&Filhos: