Criança

A língua secreta das crianças

Saiba o que o comportamento dos seus filhos quer dizer

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

LINGUA-SECRETA_shutterstock_268335659

Seu filho está começando a se tornar um pequeno formador de opinião. Na verdade, ele está se tornando um pequeno chefe – ela te diz onde quer sentar, qual calça irá usar e o que ele irá querer de almoço. Mas quando se trata de falar sobre suas emoções e sentimentos ele ainda parece um bebê aprendendo as primeiras palavras. Por isso, revista norte-americana Parents falou com alguns especialistas para ajudar a decifrar o que as crianças estão escondendo por trás das poucas palavras e linguagem corporal.

A criança não te olha nos olhos

Anúncio

FECHAR

Tradução: “Eu estou com vergonha”

Quando um bebê evita seu olhar, ele está dizendo que está sobrecarregado e precisa de uma pausa de ser a estrela do show. Quando isso acontece a partir dos 2 anos quer dizer que a criança já pode estar expressando algo como vergonha. Por exemplo, ela sabe que você está bravo por ela ter aprontado. “Quando uma criança se recusa a olhar para você, isso significa que ela percebe que suas ações podem ter desapontado você”, diz o psicólogo Kristin Lagattuta, PhD, professor assistente do Centro de Cérebro e Mente da Universidade da Califórnia, em Davis.

Sua reação: Reconheça o que seu filho fez de errado em frases simples, curtas – “Nós não desenhamos nas paredes”, “Nós não brigamos com o irmão” – e ofereça uma maneira de fazer isso direito. “Você quer que ela saiba que todos cometem erros, às vezes, mas é importante tomar medidas para reparar os danos”, diz o Dr. Lagattuta.

Ele quer levar todos seus bichos de pelúcia para a cama com ele

Tradução: “Estou com medo”

Há não muito tempo atrás seu bebê era apenas embalado e dormia tranquilamente. De repente, ele pede para levar vários objetos de conforto para dormir a cada noite. “Essa é a idade em que a imaginação de uma criança vai longe e ele começa a ter pesadelos e preencher os armários com monstros”, explica Kerstin Potter, diretor do programa de educação infantil em Harcum College, no Bryn Mawr, na Pensilvânia. “Manter objetos familiares nas proximidades faz com que seu filho se sinta seguro ao dormir ou ao acordar no meio da noite.”

Sua reação: Aos dois anos de idade a imaginação de seu filho pode ser realmente fértil – os monstros que ele imagina são incrivelmente reais na cabeça dele, então não ajuda mostrar para ele que não há nenhum monstro no armário. “Eles acham que você não pode ver monstros”, afirma Potter. Então deixe com que ele se cerque do que o deixar confortável, se você ficar preocupado com a quantidade de objetos que ele escolheu em levar para a cama, peça para que ele decida entre três bichos de pelúcia, por exemplo.

Ele cobre a cabeça com a blusa quando conhece alguém novo

Tradução: “Estou ansioso”

Pense na última vez em que esteve num evento no qual você não se sentiu confortável. Você provavelmente teve de convencer a si mesmo de que aquilo não era nada demais. Por isso, considere o comportamento do seu filho como adequado para a sua idade. “Seu filho provavelmente ainda não está confiante o bastante para lidar com seu nervosismo ao conhecer novas pessoas”, afirma Lisa Nalvem, pediatra do Centro de Desenvolvimento Infantil, em Ridgewood, new Jersey. “Alguns crianças se escondem atrás de suas roupas ou puxam as calças, enquanto outras vão se agarrar nas suas pernas, chupar o polegar ou cair no chão para tentar esconder o rosto”.

Sua reação: Gentilmente, persuada sua criança a sair de seu escudo. “As crianças olham para seus pais em busca de pistas sobre a forma que devem reagir a novas situações” diz o Dr. Nalven. Relaxe os ombros, sorria, diga “Oi” para novas amizades e dê ao seu filho um aperto tranquilizador. Isto faz com que ele saiba que está seguro.

Ele se esconde atrás dos móveis quando faz cocô na fralda

Tradução: “Eu quero privacidade”

Esse comportamento é comum e indica duas coisas: primeiro, seu filho está dando uma dica de sua vontade de fazer cocô, e segundo, ele observou que os adultos fazem isso em particular. Esses são bons sinais de que ele já está pronto para começar a usar o penico. “Se a criança não se incomoda de ficar sujo por um tempo, então isso quer dizer que ele ainda não está pronto para o peniquinho”, afirma Ari Brown, autor do livro Toddler 411.

Sua reação: Encoraje seu filho a buscar privacidade, mas mostre para ele que um bom caminho é um banheiro.

Ele se transforma – jogando comida, batendo, quebrando brinquedos.

Tradução: “Estou me sentindo mal”

É chocante – e complicado também – aquela quase sempre doce criança chega aos 2 anos de idade e se transforma num pequeno malcriado. Mas é importante entender que seu comportamento é, provavelmente, apenas uma reação à situação atual e não um sinal de que sua personalidade mudou. Geralmente, quando as crianças dessa faixa etária agem assim, elas querem dizer: “Estou entediado”, Estou cansado”, ou “Eu preciso de atenção”.

Sua reação: Tente entender o que está havendo. Se ela está agindo assim por estar entediada, junte seus brinquedos e brinque com ela ou vá passear num parque para mudar um pouco o ambiente. Um tempo de descanso pode ser uma boa ideia. “Crianças precisam aprender que existem maneiras melhores de obter a sua atenção do que jogando os brinquedos,” diz o Dr. Nalven.”Deixar seu filho ficar sozinho por dois minutos num lugar que é realmente chato é uma forma de mandar uma mensagem clara que você não concorda com esse comportamento inapropriado”. Em seguida, uma atividade divertida para vocês fazerem juntos.

 Ela começa a ter um ataque enquanto você está cozinhando ou fazendo qualquer outra coisa

Tradução: “Eu quero agora”

Bebês nascem impacientes como forma de sobrevivência. Eles gritam e pedem para ser alimentados agora mesmo! Para que suas fraldas sejam limpas agora mesmo! Embaladas agora mesmo! A incapacidade de seu filho para manter a calma e de se lembrar que ela não vai crescer na velocidade da luz é normal. O córtex pré-frontal, região do cérebro responsável pelo autocontrole – incluindo a capacidade de lidar com um atraso em ter suas necessidades satisfeitas – começa a desenvolver de forma mais dramática em algum ponto entre as idades de 2 e 7 anos.

Sua reação: Não satisfaça a vontade de seu filho em grande velocidade a cada nova demanda. Em vez disso, diga que você já ouviu seu pedido e ele vai ter o que quer o mais rapidamente possível. Depois, gradualmente, comece a tirar o tempo que você leva para cumprir suas ordens, falando dela pelas etapas específicas que você está tomando. Diga: “Mamãe está terminando os pratos, em seguida, ela vai secar as mãos, abrir a geladeira, e te dar seu suco.” Assim, você está ensinando seu filho uma valiosa habilidade – paciência.

Ele grita, ‘Não, a mãe é minha!’, quando outra criança se aproxima e você

Tradução: “Preste mais atenção em mim!”

Comportamento pegajoso pode sinalizar que o seu filho se sente como se não estivesse recebendo o suficiente de você, especialmente se você estiver trabalhando longas horas ou que tenham recebido recentemente um novo bebê na família. Na ausência de qualquer alteração, tal atitude é, provavelmente, parte integrante de seu desenvolvimento. “A fase do ‘meu, meu, meu’ é chata, mas na verdade é uma coisa boa porque significa que a criança está descobrindo quem é como pessoa”, diz Dr. Lagattuta.

Rua reação: Segure seu filho e diga a ele que você é sua mãe e o ama. Você também pode usar isso como um rápido momento para ensiná-lo sobre compartilhar. Diga, “Eu sou sua mãe, não do seu amigo, mas eu devo ser legal com outras crianças e conversar com elas”.

Veja mais dicas sobre comportamento com a psicóloga Betty Monteiro