Colunistas

Muitas perspectivas de tempo e bem estar

A colunista Cecilia Russo Troiano lembra que o dia do casal tem 48 horas: 24 dele e 24 dela. Poucos se lembram disso!

Vejo o quanto a conciliação das mil demandas que pais e mães têm nos levam a estar sempre em débito com o tempo. Não me lembro de ninguém me falar “estou com tempo de sobra!”, alguém conhece alguém com tal privilégio? Outra certeza é a de que essas mesmas pessoas que tem um tempo tão escasso desejam intensamente o bem estar dos seus filhos, físico e mental. Também não conheço nenhum pai ou mãe são da cabeça que pense diferente disso. A coisa começa a ficar incerta quando pensamos em como equacionar essas duas certezas: como ter a medida certa e possível do tempo para garantir o tão desejado bem estar dos filhos?

Engana-se quem pensa que vou dar respostas. Aliás, creio que não há uma única resposta, nem um único caminho. Pais são diferentes e filhos idem. Cada família tem um arranjo, uma demanda, uma carência, um tempo, um projeto de bem estar e sonhos próprios. Não existe algo do tipo “one size fits all”, como bem dizem os americanos para se referir a uma única coisa que sirva para todos os tipos de pessoas. Se não há um padrão, significa que não há um único modelo para o manejo do tempo e a busca do desejado bem estar dos filhos.

Nem por isso quero dizer que qualquer coisa serve, de maneira alguma! Muito pelo contrário, o manejo do tempo de cada família precisa ser um negócio pensado, discutido, amadurecido. Já que o tempo é finito, é preciso planejar onde e como devemos alocar as poucas horas disponíveis para os filhos. E nunca se esquecer que, quando as famílias têm pai e mãe, o dia tem 48 horas, certo? 24 horas de cada pessoa. Poucos fazem essa conta e na maior parte das vezes um dos dois pais é sobrecarregado, em geral a mãe. Isso foi comprovado em estudo do IPEA (Instituto de Pesquisas Aplicadas) divulgado no ano passado, onde eles demonstram que as mulheres, mesmo as que trabalham fora, gastam 10 horas semanais a mais do que os homens em tarefas domésticas. O que é pior e inexplicável é que nas famílias com 5 filhos ou mais a diferença entre horas dedicadas à casa entre mulheres e homens cresce, atingindo 23 horas! Mais filhos significa mais trabalho para as mães e não uma maior colaboração de ambos nessa empreitada. Realmente, com esse arranjo não há tempo que chegue e as 24 horas das mães se vão rapidamente, além dela ficar exausta.

Anúncio

FECHAR

Também a ideia de bem estar dos filhos é algo para ser debatido intensamente entre o casal porque aqui também não há um gabarito para essa aferição da medida precisa de bem estar. Cada família vê de um jeito, define e valoriza prioridades, cria sua própria leitura do que é o bem estar dos filhos. Para uma família, bem estar é ir bem na escola. Para outra, é ele estar com um sorriso no rosto, brincando com amigos e disposto. Para outros, é controlar o xixi, dormir bem e comer de forma adequada. Outros têm tudo isso e ainda sentem que não chegaram ao patamar de bem estar que desejam.

Tudo é uma questão de perspectiva, por isso não temos como nos apegar a fórmulas, gabaritos ou tabelinhas de bem estar e quantidade de tempo ideal. Maneje o tempo da forma que parece mais adequada e crie o bem estar desejado e possível para sua família. Siga sua intuição, converse com a família, defina suas prioridades e boa sorte!

Pais&Filhos TV